Um artigo publicado pelo Jornal American Journal of Public Health ressalta que pesquisadores da Universidade da Califórnia descobriram que o hábito diário de ingerir refrigerantes faz aumentar o envelhecimento das células. O estudo comprova que indivíduos que possuem o hábito de consumirem mais de duas latas de refrigerante por dia apresentaram mudanças em seu DNA. De acordo com a pesquisa, o consumo diário de refrigerante torna as células do corpo 4,5 anos mais velhas do que o normal.

A pesquisadora Elisa Etel, da Universidade da Califórnia, estuda os telômeros, substâncias encontradas dentro dos cromossomos e estão ligados a longevidade de um indivíduo.

Publicidade
Publicidade

Ao analisarem centenas de milhares de amostras de DNA, os pesquisadores chegaram a conclusão de que as pessoas que consomem a bebida diariamente apresentaram telômeros mais curtos. Diferente daquelas pessoas que não tem o mesmo hábito, as estruturas encontradas nos cromossomos protegem o material genético responsável pela nossa saúde.

Os telômeros mais curtos do que o normal são indicadores do sinal de doenças relacionadas as mortes prematuras. Ou seja, com o envelhecimento precoce, os telômeros apresentam-se cada vez mais curtos e o DNA fica cada vez mais danificado. Etel explica que os telômeros tem a função de nos proteger contra os danos externos, mas à medida que a idade avança, os telômeros se desgastam, ficam mais curtos e como consequência impedem que a célula possa se dividir novamente.

Publicidade

''Geralmente aqueles pacientes que apresentam os telômeros mais curtos tendem a ter uma vida mais curta também. Como consequência o indivíduo ficará mais frágil à doenças às quais costumam surgir com o avanço da idade, como mal de Alzheimer, doenças do coração, obesidade seguida do diabetes''.

Em 2014, a equipe da doutora Etel avaliou dois grupos de pacientes adultos com idades variando dos 20 aos 64 anos. O primeiro grupo não apresentou histórico de diabetes entre outras doenças crônicas. Já o segundo grupo, composto por pessoas que possuem o hábito de consumir mais de dois litros de refrigerante por semana, apresentaram os telômeros mais curtos. Ou seja, se consumirmos menos de 250 mililitros por dia, equivalente a menos do que uma lata, seria igual a 1,8 anos de envelhecimento precoce das células.

A pesquisa concluiu que existem duas notícias a respeito do açúcar e do envelhecimento precoce. A primeira está relacionada ao baixo nível dos telômeros. A boa notícia é que esse processo é reversível, basta que o indivíduo tenha uma dieta rica em frutas e verduras e inclua no seu cardápio alguns tipos de proteínas e peixes ricos em dimetilaminoetanol, substância de extrema importância para a saúde. De acordo com especialistas, esta substância evita a diminuição dos telômeros. #Entretenimento #Dicas