De acordo com pesquisas, a #Doença estaria sendo causada por  uma nova bactéria resistente a antibióticos. Segundo pesquisadores, em 2015, foi divulgado um alerta onde foram registrados inúmeros casos na região de Leeds, em Yorkshire e o principal tratamento dispovível na cidade se mostrou ineficaz contra a nova doença. De acordo com a agência do governo Public Health England, a maioria dos tratamentos para conter a doença não foram eficazes. No momento, foram confirmados mais de 34 casos envolvendo a nova doença.

Os pesquisadores acreditam que, em um futuro próximo, não seja mais possível combater a doença, que também pode levar uma pessoa à infertilidade.

Publicidade
Publicidade

Os primeiros casos começaram em pessoas heterossexuais e agora já está sendo registrados também em homossexuais. Em geral, a doença é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, que, geralmente, é transmitida pelo sexo sem camisinha. Os pesquisadores britânicos acreditam que há um grande risco da doença tornar-se incurável. Caso surjam novas bactérias resistentes à medicação, tanto à azitromicina quanto à ceftriaxona, são opções de tratamento muito limitados, uma vez  que não há nenhum remédio no mercado para tratar essa doença.” A Associação Britânica para Saúde Sexual afirma ser necessário que as autoridades na área de saúde tenham em mente um plano de ação rápida, tudo para evitar que o alto índice de contaminação aumente ainda mais.

Os pesquisadores acreditam que, dentre 10 pessoas, 1 está contaminada.

Publicidade

Os principais sintomas ainda são fortes dores ao urinar, com sangue na urina, surgimento de pus verde ou amarelo em volta do pênis ou vagina. Segundo especialistas, em torno de quatro ou cinco pessoas não apresentam nenhum sintoma

De acordo com a presidente do grupo, Elizabeth Carlin, a doença é muito resistente à medicação e está causando grande preocupação, no entanto, medidas estão sendo tomadas para evitar que a doença se propague ainda mais. Do mesmo modo, o governo já anunciou medidas para auxiliar que as clínicas reduzam o número de medicamentos prescritos. ''Os antibióticos serão prescritos em casos de especiais'', afirmou o secretário de Saúde, Jeremy Hunt. #Entretenimento #Curiosidades