Na África do Sul, está sendo realizado um ensaio clínico acerca de uma vacina contra o vírus da imunodeficiência humana. Foi feito o aponte de que há segurança na vacina e ela gera respostas imunes. Com tais resultados, a NIAID (Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas) decidiram então avançar o projeto em um ensaio de maior proporção.

Pretende-se determinar se a vacina é segura, tolerável e completamente eficaz na prevenção da infecção do vírus do HIV. Tais testes devem se iniciar no final desse ano.

Não se trata ainda de uma cura do vírus, mas a extensão da prevenção dele, na pretensão da vacinação do povo, que venha a ficar completamente imune à contração do vírus.

Publicidade
Publicidade

Cientistas vem buscando a cura do HIV há anos e os avanços aparecem de forma lenta. Em vários países europeus há pesquisas em torna da prevenção e até mesmo possível cura do vírus. Cientistas de alguns países inclusive já declararam que a cura deve ser divulgada em pouco tempo. Muitos cidadãos defendem a ideia de que, na realidade, a cura já existe, porém ainda não foi divulgada ao grande público.

O estudo que está sendo realizado na África carrega o nome de HVTN 702.

O vírus do HIV é o causador da síndrome da imunodeficiência adquirida, mais conhecida como AIDS. A #Doença já matou milhares de pessoas entre as décadas de 80 e 90, mas nos últimos anos tem sido controlada, e as pessoas soropositivas podem ter vidas saudáveis desde que sigam todo um tratamento com antirretrovirais, conhecido popularmente como coquetel.

Publicidade

Aproximando-se dos Jogos Olímpicos de Verão 2016, a Organização Mundial da Saúde tem indicado o uso de preservativos para a prevenção do zika vírus, cuja transmissão via sexual tem tido discussões gigantescas na comunidade científica atual. Em meio a isso, a Austrália divulgou que seus atletas receberão camisinhas especiais, que contém um gel antiviral, aumentando a proteção não só contra o zika vírus como também contra o vírus do HIV. A Rio 2016 se iniciará no dia 5 de Agosto e se estenderá até o dia 21 do mesmo mês. #Medicina #Organização Mundial de Saúde