Segundo uma equipe de astrônomos, extraterrestres inteligentes provavelmente existem, mas ainda demoraria um certo tempo para que os alienígenas fizessem algum tipo de contato com a humanidade – mais precisamente, a interação aconteceria daqui a cerca de 1.500 anos, contando a partir dos dias atuais.

Para chegar a tal resultado, os cientistas realizaram cálculos com base na probabilidade de civilizações tecnológicas realmente existirem entre as estrelas, e a quantidade de tempo que transmissões de sinais inteligentes levariam para percorrer o espaço. Valendo-se dessas variáveis, os astrônomos concluíram que não há razão para os seres humanos pensarem que estão sozinhos no Universo, e que, na verdade, basta ter “um pouco de paciência” para que o fato se torne uma realidade científica.

Publicidade
Publicidade

Contato

O americano Evan Solomonides, estudante de PhD da Universidade de Cornell, em Nova York, integra a equipe de astrônomos, e acredita que possa, até mesmo, haver uma detecção positiva de uma civilização extraterrestre antes deste período. No entanto, é mais provável que tal fato ocorra futuramente: “Até então [que os 1.500 anos decorram], é possível que pareça que estejamos sozinhos – mesmo que não estejamos. Mas, se pararmos de ouvir ou procurar, podemos perder os sinais. Assim, devemos continuar procurando”.  

O astrônomo se referiu a essa aparente “solidão” pelo fato de, até o momento, a humanidade não ter feito qualquer contato cientificamente comprovado, mesmo com as tentativas do projeto SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre) de procurar por sinais de rádio no Cosmos que indiquem transmissões alienígenas artificiais.

Publicidade

Tecnologia terrestre é recente

A humanidade, por exemplo, começou a emitir sinais de rádio e TV há cerca de 80 anos, o que quer dizer que esses sinais alcançaram 80 anos-luz de distância da Terra – o que dá aproximadamente 760 trilhões de quilômetros, abrangendo 8.500 estrelas além do Sol.

Parece muito, mas na escala cósmica, estes números são considerados pequenos, e pode ser que diversas civilizações inteligentes estejam além destes 80 anos-luz, com um nível de desenvolvimento tecnológico semelhante ao humano, também se perguntando se estão sozinhas no Universo.

Paradoxo de Fermi

Existem mais de 200 bilhões de estrelas somente na nossa galáxia, a Via Láctea, e praticamente metade dessas estrelas pode hospedar planetas como a Terra. Pela lógica, se a vida não é um evento exclusivo da Terra, a nossa galáxia, bem como todo o Universo, estariam repletos de civilizações. No entanto, cientificamente falando, só há silêncio “lá fora”, e este fato é conhecido como “Paradoxo de Fermi”.

Várias razões lógicas para a falta de contato já foram sugeridas para explicar o Paradoxo de Fermi, incluindo a possibilidade de que a vida extraterrestre inteligente seja muito rara ou mesmo inexistente, ou que todas as civilizações inteligentes, eventualmente, acabem se destruindo antes de chegar a viajar entre as estrelas.

Publicidade

Pode ser ainda que os alienígenas decidiram que comunicações entre diferentes espécies inteligentes sejam muito perigosas, ou pode até ser que os alienígenas já estejam aqui na Terra, nos observando em uma espécie de experimento intergalático.

Os astrônomos apresentaram suas conclusões na reunião anual da Sociedade Astronômica Americana, em San Diego, nos Estados Unidos. #Curiosidades #EUA