Apesar do avanço científico e tecnológico presente no mundo moderno, o que, por si só, eleva a sobrevida das pessoas, há um ponto que é quase unânime entre todos, provocando a insatisfação e o descontentamento entre muitas pessoas. Por exemplo, o ser humano tem momentos na vida em que forçosamente é obrigado a acordar cedo, seja para cumprir deveres de trabalho, educação e até ir para a academia em busca do corpo perfeito ou saúde plena. 

Acordar cedo para ganhar tempo e, assim, conseguir fazer mais tarefas pode vir a ser um sério fator de risco à saúde. Pelo menos é o que diz um determinado estudo veiculado pelo Nuffield Department of Clinical Neurosciences (Departamento de Neurociências Clínicas de Nuffield)

A pesquisa revelou que, antes de fechar o ciclo dos 55 anos, há um relógio biológico interno, ditando que o ritmo diário da pessoa só se inicia às 10 horas, ou seja, estudar e trabalhar, por exemplo, iniciando as 9 horas, pode ser algo muito destrutivo à saúde mental e ao humor do cidadão. 

Quando se impõe que os trabalhadores e estudantes iniciem as suas atividades antes das 10 horas, isso se assemelha diretamente a práticas de torturas, provocando várias patologias, exaustão, fadiga e estresse, ao menos é o que revela o pesquisador Dr.

Publicidade
Publicidade

Paul Kelley, da Universidade de Oxford. 

Ainda, segundo o pesquisador, tanto crianças quanto adolescentes não estão “aptos” para despertar antes das 8h30min, logo, se o horário de acordar fosse mais tarde, esses mesmo jovens teriam os seus rendimentos elevados em torno de 10%. 

Conforme o pesquisador, quando a pessoa dorme tarde e se levanta da cama muito cedo, é como se esse indivíduo estivesse completamente bêbado, o que catalisa e justifica os picos de estresse nas pessoas. Seria, então, imprescindível que se fizesse uma alteração drástica nos horários de estudo e trabalho em todo o mundo, para, só assim haver a sincronização dos relógios biológicos internos corretamente, reiterou o Dr. Kelley. E você, o que pensa sobre esse estudo? #Comportamento #Doença #Tratamento