Os diferentes grupos humanos podem ser divididos por meio de conceitos arbitrários, em várias raças, com características específicas oriundas das leis genéticas hereditárias, que determinam uma série de traços físicos das pessoas como a cor da pele, tipo de cabelo, formato da cabeça e da face, porte físico e altura, entre outros. E por falar em altura, os cientistas Majid Ezzati, James Bentham e Elio Riboli, respectivamente o principal responsável e co-autores do estudo conduzido no Imperial College de Londres, revelaram informações interessantes sobre o tamanho ou altura dos povos

O aprofundamento da pesquisa veiculada na revista científica eLife foi capaz de apontar que, em 187 nações, desde o ano de 1914, qual é a tendência de crescimento dos povos locais.

Publicidade
Publicidade

Por exemplo, verificou-se que os homens holandeses e as mulheres da Letônia são geralmente mais altos do que os de outras nacionalidades. A média de altura de um holandês é de 1,83 m, enquanto que a mulher letã atinge 1,70 m. O maior avanço na altura ficou por conta dos homens iranianos e das mulheres da Coreia do Sul, os quais cresceram na média entre 16 cm e 20 cm, exatamente nessa ordem. 

Já o homem brasileiro ficou na média de 1,73 m e a brasileira com 1,60 m. A população do Brasil cresceu desde 1914 o equivalente a 8,6 cm, sendo que os brasileiros, no ranking, estão atrás dos romenos jamaicanos e argentinos; todavia, são mais altos que chilenos, mexicanos e portugueses, ocupando a 68.ª posição dentre os 187 países constantes da pesquisa. 

As brasileiras ficam com a 71.ª posição, sendo mais altas que as chinesas, argentinas e turcas; entretanto, mais baixas do que as mulheres de Israel, Espanha e Inglaterra. 

Atualmente os países que dominam o critério dos povos mais altos no mundo são os europeus; porém, a avaliação criteriosa dos dados revela que há uma tendência forte à estabilização do crescimento no Ocidente como um todo. 

A título de curiosidade, o representante masculino mais baixo entre as nações é do Timor Leste, tendo 1,60 m e a mulher mais baixinha é oriunda da Guatemala, que não atinge 1,50 m.

Publicidade

Por outro lado, populações de países da Ásia como China, Japão e Coreia do Sul são muito mais altas do que no século passado. 

Conforme Majid Ezzati, cientista chefe do estudo, a genética é um dos fatores responsáveis pela alteração de crescimento das raças variadas, mas existem outros intervenientes, tais como: normas satisfatórias de saúde, nutrição, saneamento e a alimentação das mães durante o período gestacional, ou seja, tudo isso interfere diretamente no tamanho de uma pessoa. 

Pesquisas adicionais ao estudo mencionado também trouxeram à tona que humanos mais altos têm maior longevidade e não morrem tanto de doenças do coração. Em contrapartida, ocorreram provas de que manifestam mais tipos de determinados cânceres como o colorretal, tumores no ovário e nas mamas depois do período da menopausa. 

"Um Século de Tendências na Altura Humana" foi o nome dado ao estudo de crescimento e fatores de saúde humana, tendo a participação de número superior a 800 cientistas, os quais trabalharam como associados diretos da OMS - Organização Mundial da Saúde. 

5 países com os homens mais altos em 2014

A posição de 1914 está entre parênteses.

Publicidade

  1. Holanda (12)
  2. Bélgica (33)
  3. Estônia (4)
  4. Letônia (13)
  5. Dinamarca (9) 

5 países com as mulheres mais altas em 2014

A posição de 1914 está entre parênteses. #Curiosidades #Organização Mundial de Saúde #Alimentação Saudável

  1. Letônia (28)
  2. Holanda (38)
  3. Estônia (16)
  4. República Checa (69)
  5. Sérvia (93)