Com objetivo de aumentar as chances de vida em pacientes que necessitam de transplante de fígado, cientistas britânicos descobriram um jeito de transformar os órgãos que foram rejeitados, em saudáveis. De acordo com informações do jornal inglês The Telegraph, desta quinta-feira (21), pesquisadores conseguiram curar o tecido doente do fígado.

Membros do hospital Royal Free, em Londres (Inglaterra), acreditam que num futuro breve as células-tronco (células-mãe) de um paciente serão aproveitadas para fazer crescer um novo fígado.

Eles avaliam que o método por células-tronco poderá reutilizar os cerca de 900 fígados descartados todos os anos pelo hospital.

Publicidade
Publicidade

Ou seja, órgãos considerados sem utilidade como os cancerosos e gordurosos poderão servir para originar fígados novos. Esses órgãos serão usados em pacientes que fornecerem as células-mãe, eliminando as chances de rejeição.

Guiseppe Mazza, do Royal Free, envolvido no estudo, ressalta que o objetivo de reconstruir um fígado doente a partir dessas células, consiste em eliminar as filas de espera para transplantes. “A longo prazo é fazer novos órgãos, reduzindo a necessidade de doadores”, explica.

Enquanto as células não são usadas para a produção de fígados humanos, mais de 400 pacientes morrem todo o ano à espera do órgão na Inglaterra. Segundo os médicos, o tempo médio para um transplante é de 145 dias. Os estudiosos também salientam ser cada vez mais difícil encontrar um fígado saudável.

Publicidade

Eles explicam que atualmente 25% dos órgãos são doados por pacientes obesos. Uma década atrás, apenas um em cada oito doadores estavam acima do peso.

Além do aumento do número de obesos na Inglaterra (e no resto do mundo), o acréscimo na quantidade de idosos também se destaca na hora de procurar um doador. De acordo com os pesquisadores, 33% têm mais de 60 anos. Em 2005, apenas 17% dos doadores eram idosos.

Agora, a equipe à frente do estudo espera testar os novos órgãos criados a partir de células-tronco, em porcos, num período de quatro a seis anos. Se obterem êxito, os transplantes de fígados gerados a partir das células-mãe serão usados em humanos.

Células troncos

Segundo o Instituto de Pesquisa com Células-tronco (IPCT), elas são capazes de virar diversos tipos de células. As células-mãe também podem ser ajustadas com objetivo de desenvolver funções específicas. Em resumo, elas podem virar qualquer órgão.

As células-tronco podem ser embrionárias ou adultas, encontradas na medula óssea e no cordão umbilical de recém-nascidos. Elas também podem ser ‘artificiais’, chamadas de pluripotentes induzidas, obtidas por cientistas em laboratório em 2007. #Mídia #Curiosidades #Medicina