Na virada desta quinta-feira será possível a visualização da chuva de meteoros Delta Aquarídeos que atingirá seu ponto máximo à meia-noite e poderá ser vista em todo o território brasileiro. Amantes do espaço, profissionais e amadores ou mesmo apenas curiosos poderão presenciar este maravilhoso fenômeno a olho nu, bastando apenas observar o lado leste do céu (direção do sol nascente). São esperados cerca de dez meteoros por hora.

A chuva de meteoros desta noite não é considerada de grande intensidade e, segundo o astrônomo Daniel Mello, do observatório da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o fenômeno será melhor observado das regiões Norte e Nordeste do país.

Publicidade
Publicidade

Este fenômeno no entanto acontece anualmente, entre 14 de julho e 18 de agosto, e é um espetáculo visível no mundo inteiro, porém a melhor visualização do evento é no hemisfério sul. A chuva de meteoros em questão foi observada pela primeira vez em 1870, e o nome Delta Aquarídeos ou Delta Aquarídeas se dá em consideração ao seu ponto de origem, a constelação de aquários, de onde os “aerólitos” parecem fluir.

Quem deseja acompanhar a passagem dos corpos celestes que irão riscar os céus, dependerá das condições do clima e tempo, pois é necessário céu limpo e escuro para uma melhor apreciação da passagem dos meteoros.

A constelação de aquário surgirá em nosso horizonte a partir das 20h (horário de Brasília), porém o melhor momento para a observação será quando a constelação atingir o ponto mais alto no céu.

Publicidade

A partir de então, ela tomará a direção oeste, até desaparecer novamente no horizonte.

Durante a passagem dos meteoros, para quem não tiver a chance de apreciar, devido ao mal tempo, condições adversas ou quaisquer outros problemas climáticos, o projeto ‘Slooh’, reunindo observatórios do mundo inteiro, transmitirá a chuva de meteoros em seu site a partir das 21h (também no horário de Brasília), com direito a comentários de astrônomos, em tempo real, explicando e trazendo curiosidades sobre as chuvas de meteoros. #Educação #História