Qual mulher (inclusive alguns homens) não sonha com a dieta milagrosa? Aquela que pode fazer emagrecer em pouquíssimo tempo? A verdade é que muitas pessoas vivem eternamente em busca do corpo perfeito, mas será que vale a pena fazer de tudo por isso? 

Na Índia, pesquisadores trabalham na descoberta de um novo 'superalimento' para ajudar no emagrecimento, que é completo e saudável, mas que parece um tanto quanto nojento.

Estamos falando sobre 'leite de barata', isso mesmo, aquela coisa branca nojenta que escorre quando você mata uma barata. Exatamente aquilo pode te fazer emagrecer. E aí, será que ainda seria capaz de encarar uma #Dieta dessas?

O Instituto de Biologia Regenerativa e de Células Tronco foi o responsável pela pesquisa que indica que o leite das baratas é quatro vezes mais nutritivo que o leite de vaca. Mas, tenha cuidado, não é para sair matando baratas por aí e cometendo loucuras achando que vai emagrecer desta forma.

Publicidade
Publicidade

As pesquisas apontaram que apenas um tipo de barata produz esse "leite" com as substâncias que ajudam no emagrecimento. Trata-se da Diploptera punctata, uma espécie criada em cativeiro, sem qualquer semelhança com aquelas que costumamos encontrar dentro de casa. Ela é reproduzida numa espécie de útero que faz com que os nutrientes da barata mãe passem para os filhotes.

A proposta da pesquisa é tentar inserir essa substância da barata na dieta humana, mas ainda existem estudos que precisam ser realizados até que este "superalimento" esteja pronto para o consumo humano.

Portanto, nada de sair por aí "ordenhando baratas", porque além de ser um processo quase impossível, você corre o risco de ter sérios problemas de saúde. Lembrando que os testes realizados até então foram produzidos em laboratório, com baratas próprias para isso.

Publicidade

Imaginou o gosto? Bom, a única pessoa que provou, em consequência de uma aposta entre os participantes da pesquisa, afirmou que não tem nada de tão especial, que o leite de barata é 'normal', sem gosto de algo específico.

E você, seria corajoso de experimentar? #Google #Medicina