Segundo informações de médicos ginecologistas, a endometriose é uma doença que afeta aproximadamente 6 milhões de mulheres brasileiras. É uma doença invisível, mas seus sintomas são bem notados: cólicas menstruais intensas, infertilidade, dor na relação sexual, alterações no intestino no período da menstruação (diarreia, intestino preso ou sangramento anal), alterações na bexiga e vias urinárias no período da menstruação (aumento do volume das micções, dor ao urinar e/ou sangramento na urina) e dor contínua, principalmente em casos de endometriose avançada. Mas a quantidade de sintomas aparentes não tem relação com o volume e intensidade da doença.

Publicidade
Publicidade

Há evidências, ainda não comprovadas, de que a endometriose pode causar infertilidade ou diminuir a fecundidade. É uma doença provocada pelo crescimento de células endometriais fora do útero.

As causas da endometriose ainda não foram comprovadas, mas os médicos consideram como possíveis causas: menstruação retrógrada (quando o sangue da menstruação retorna pelas trompas e cavidade pélvica), crescimento de células embrionárias, deficiência no sistema imunológico e histerectomia. São enumerados alguns fatores de risco, como: início da menstruação muito cedo, nunca haver engravidado, menstruações prolongadas (mais de 7 dias), anormalidades no útero e outros.

Já sobre os miomas uterinos (fibróides uterinos), há informações médicas que indicam que eles atingem cerca de 50% das mulheres com idade entre 30 e 50 anos.

Publicidade

São tumores não cancerosos que se desenvolvem a partir do miométrio (tecido muscular liso do útero), criando uma massa distinta. Eles podem ser únicos ou múltiplos.

As causas dos miomas ainda não foram comprovadas, mas são levadas em consideração: mudanças genéticas, fatores hormonais e outros fatores de risco, como hereditariedade, raça (as negras são mais propensas), início da menstruação em idade precoce, dieta rica em carne vermelha e pobre em verduras e frutas, além da ingestão de álcool.

Os sintomas mais comuns são: sangramento menstrual muito intenso, período menstrual superior a 7 dias, sangramentos atípicos (com coágulos), dor pélvica, micção frequente, prisão de ventre, dor durante as relações sexuais, útero com volume aumentado. Porém, muitas mulheres não apresentam sintomas, sendo possível o diagnóstico apenas através de exames médicos e laboratoriais.

Geralmente os miomas uterinos não são perigosos, mas podem provocar pequenas complicações, como anemia e diminuição da fertilidade ou do crescimento do feto (em caso de gravidez).

Ao observar sintomas de endometriose ou miomas, a mulher deve procurar um médico ginecologista para realização de exames. Além disso, a realização do exame papanicolau é aconselhável pelo menos uma vez por ano a fim de detectar outros tipos de doenças que afetam as mulheres, incluindo algumas doenças sexualmente transmissíveis. #Medicina #Saúde