As semelhanças entre as duas “espécies” são grandes: são animais fortes, com mordidas dilacerantes, tem chifres e espinhos nas costas, além de extremamente territoriais. As espécies em questão são os fictícios dragões da série #Game of Thrones e as novas espécies de formigas – com características muito semelhantes à dos seres mitológicos – descoberta por um grupo de cientistas japoneses do Instituto de #Ciência e Tecnologia de Okinawa.

Papúa-Nova Guiné foi onde as novas espécies, batizadas como Pheide viserion e Pheide drogon foram encontradas pelos cientistas. Os nomes foram escolhidos com base nos dragões de Daenerys Targaryen, a Rainha dos muitos títulos da aclamada série da HBO.

Publicidade
Publicidade

 Apenas um dos dragões, Rhaegal ficou de fora da homenagem.

O tributo foi feito a partir de coincidências e muita observação no microscópio: as imagens mostraram que as formigas em questão têm espinhos nas costas, assim como os dragões de Daenerys. A cor também foi um dos fatores cruciais na escolha dos nomes: assim como Drogon e Viserion, a Pheidole drogon é preta e a Pheide Viserion é creme (uma cor próxima a do dragão).

O gênero que as novas espécies pertencem, Pheidole, tem características bem comuns. São pequenas e cabeçudas e podem ser encontradas no mundo inteiro, porém se fossem como dragões, grande e imponentes, os seres humanos estariam à beira da extinção. Tudo porque esses pequenos seres existem aos montes: mais de mil espécies segundo estudos, dentre elas muitas ainda não identificadas.

Publicidade

Além das duas espécies “dragões”, estima-se que ainda existem outras 100 que também possuam espinhos nas costas. Ainda é possível homenagear Rhaegal (e você leitor achando que o terceiro dragão ficaria de fora!)

A maioria das formigas do gênero Pheidole possui uma anatomia similar e se dividem em dois tipos:

- formigas-soldado: possuem cabeças grandes e mandíbulas bem afiadas (para cortar sementes com habilidade)

- formigas-trabalhadoras: tem cabeças menores e patas fortes.

Entre as formigas-dragão descobertas pelos cientistas japoneses, há insetos de ambos os tipos e as duas tem os espinhos que as deixam mais interessantes. A função deles ainda é desconhecida. Os estudiosos acreditam que sejam um mecanismo de defesa (por serem bem afiados) mesclado a uma musculatura que ajuda a manter as enormes cabeças no lugar e, no caso das formigas-soldado, os espinhos estão ali para fortalecer a mandíbula para que a mordida seja poderosa, como seria a mordida de um dragão. A função dos chifres nas formigas-trabalhadoras ainda é um mistério já que suas cabeças são bem menores. Porém as observações continuarão sendo feitas até que se chegue a alguma conclusão.

  #Curiosidades