Um grupo de pesquisadores, comandados pelo médico Bonsal, anunciaram essa semana que acreditam na possibilidade de reverter a #Morte cerebral. Para comprovarem isso, realizarão uma pesquisa inédita e polêmica que tem como expectativa obter como resultado a possibilidade de reviver o cérebro de pessoas que sofreram morte cerebral.

O cenário escolhido para esse experimento é o Hospital Anapun, na Índia, nas proximidades com o Tibet. Segundo informações da própria equipe que conduzirá os estudos, o projeto tem previsão de durar cerca de 1 ano, e os pacientes "voluntários" serão em torno de 20 pessoas que tiveram o diagnóstico de morte cerebral dentro do período de 8 à 24 horas antes dos testes iniciarem.

Publicidade
Publicidade

Esses pacientes passarão por algumas intervenções, como injeções de células troncos e um coquetel de reprogramação celular com a finalidade de regenerar e recuperar a função do cérebro ao longo de um período de duas semanas.

O estudo conta com o patrocínio da empresa americana Bio quark, estando registrado dentro da legalidade como ensaio clínico, assim como acontece no estudo de medicamentos para diversas doenças, tendo também passado por um comitê local e acabou sendo beneficiado pela ausência de leis que regulamentem estudos com o perfil desse tipo de voluntários que participarão da pesquisa.

Para o medico cirurgião Himanshul  Bonsal, que conduzira o estudo, ainda que apenas uma pequena parcela dos voluntários conseguissem sair do estado de morte cerebral para qualquer nível de consciência, e mesmo que continuem em estado de coma, pode-se considerar uma grande avanço e quebra de paradigma perante a comunidade medico-cientifica, uma vez que existe muita polemica e divergência em  torno dessa questão.

Publicidade

Por exemplo sobre como e quando se deve diagnosticar uma pessoa com morte cerebral,  já que essa definição e classificação para considerar e definir a morte cerebral é debatida em vários países e esta longe de se chegar a um consenso sobre quando considerar que uma pessoa teve morte cerebral. #Curiosidades #Comportamento