Em 2015, o número registrado de pessoas contaminadas pela dengue foi considerado um recorde: mais de 1,6 milhão de casos. Somente em 2016, até o momento, um milhão de casos já foram comprovados todo o país. 

Em dezembro de 2015, foi criada e registrada a primeira vacina contra a dengue, a Dengvaxia, com indicação de uso em pessoas na faixa etária de 9 e 45 anos de idade. O tratamento com a vacina é realizado em três doses, aplicadas a cada seis meses, com algumas contra-indicações. Segundo informações da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina se mostrou muito eficiente, principalmente em pessoas que já haviam contraído a doença anteriormente.

Publicidade
Publicidade

Butantã também possui vacina em fase de teste

No entanto, o Instituto Butantã iniciou os testes de uma nova vacina contra a dengue, no dia 25 deste mês, no estado do Ceará e tem previsão de aplicá-la em pelo menos 1,2 mil pessoas. O Hospital Universitário Walter Cantídiona é quem realizará a vacinação de teste em pessoas com faixa etária de 2 e 59 anos de idade.

Mais seis capitais também realizarão os testes nesse mesmo período. São elas: Aracaju, Boa Vista, Manaus, Porto Velho, Recife e São Paulo, além de mais 13 cidades das cinco regiões do país, contabilizando quase 17 mil voluntários.  

Os resultados da vacina desenvolvida pelo Butantã vem apontando que ela é melhor do que a primeira vacina, criada pelo laboratório Sanofi Pasteur. Segundo a infectologista Mônica Jacques de Moraes, a vacina do Butantã possui menor custo, é eficaz contra os quatro tipos de vírus da dengue e será ministrada em apenas uma dose. A má notícia é que a Anvisa não tem previsão para a aprovação da vacina criada pelo Instituto. 

A vacina, autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), custará entre R$ 132,76 e R$ 138,53 para as clínicas e foi testada em 15 países por duas décadas.

Publicidade

No Brasil, quase quatro mil voluntários participaram dos testes.

O fato do Ministério da #Saúde alegar não ter a intenção de oferecer a vacinação na rede pública fez com que a Secretaria Estadual do Paraná resolvesse realizar a aplicação em Paranaguá a partir do dia 26, porém não foi divulgado a quantidade de doses que estão disponíveis para a população e nem até quando elas serão oferecidas.

Apesar zika vírus e da dengue serem transmitidos pelo mesmo mosquito, a vacinação contra a dengue não protege as pessoas do primeiro que é causador de microcefalia em bebês, segundo os especialistas. #Negócios #Governo