A galáxia Dragonfly 44 (dragonfly em português quer dizer "libélula") possui quase a mesma massa que a Via Láctea, mas as semelhanças param neste ponto: enquanto grande parte de nossa galáxia é formada por estrelas, poeira, gás, planetas – ou seja, por matéria comum –, Dragonfly 44 é composta de 99,99% de matéria escura, cuja natureza é um mistério para a ciência.

A estranha galáxia está localizada a cerca de 330 milhões de anos-luz de distância, o que é considerado "perto" na escala cósmica. No entanto, pelo fato ser formada por um material que é literalmente invisível para qualquer instrumento científico, somente agora os cientistas foram capazes de identificar sua composição.

Publicidade
Publicidade

Encontrando matéria invisível

Astrônomos do Observatório Keck, localizado no Havaí, foram os responsáveis pela descoberta, após analisarem os movimentos das poucas estrelas existentes em Dragonfly 44. De acordo com o professor Pieter van Dokkum, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, o estudo dos movimentos das estrelas pode indicar quanta matéria existe em uma galáxia, não importando o tipo de material que a compõe.

A análise de Dragonfly 44 mostrou que havia uma enorme discrepância entre a massa indicada pelos rápidos movimentos estelares, e a quantidade de matéria que compõe as estrelas propriamente ditas.

A única coisa "normal" da matéria escura é que ela possui gravidade, e exerce força de atração sobre a matéria comum. Este foi o fator chave para a nova descoberta: sem a gravidade extra fornecida pelo estranho material que compõe a galáxia, e que mantém toda a sua estrutura unida, Dragonfly 44 acabaria se desintegrando.

Publicidade

Grandes mistérios do Universo

Os cientistas sabem agora que apenas 5% de todo o Universo é feito de matéria normal, como por exemplo, todas as estrelas e planetas existentes. Assim sendo, do que seriam feitos os outros 95%?

A matéria escura responde por 27% deste total. Fora seu efeito gravitacional, ela não reflete a luz, não emite qualquer tipo de radiação e não pode ser detectada diretamente por quaisquer meios conhecidos pela ciência. Apesar de haver uma série de teorias tentando explicá-la, sua verdadeira natureza permanece desconhecida.

Os 68% restantes do Universo são feitos de energia escura, que é algo ainda mais desconcertante: esta é uma espécie de força antigravitacional, que parece estar repelindo as galáxias para longe umas das outras, acelerando a expansão do Universo. #Inovação #Curiosidades