A chegada de um bebê sempre causa emoção entre família e amigos: todos querem visitar, mimar e presentear. E isso é ótimo! O problema é quando se esquecem da nova mãe. Se você tem uma amiga ou familiar que acabou de ser mãe e quer ajudá-la, saiba como pode ajudar de verdade!

O período pós-parto

É comum que toda a atenção esteja voltada ao bebê após o nascimento. Embora muitos queiram ajudar, nem sempre sabem a melhor forma de fazê-lo. O resultado? Entre conselhos e “invasões de terreno”, acabam dificultando ainda mais a vida da nova mãe. E esses efeitos refletem na convivência da família e na relação entre a mãe e o bebê, às vezes de modo irreversível.

Publicidade
Publicidade

A mãe, contudo, deveria receber tanta atenção quanto o bebê: afinal, ele depende dela por completo. Se ela não está bem, o bebê não estará bem. Após o parto, a mãe entra num período confuso e exaustivo, físico e emocionalmente. Seu corpo está se adaptando às mudanças trazidas pelo nascimento, os hormônios afloram, o bebê requer sua total atenção e disposição. Tudo isso é extremamente cansativo e, sem apoio, a mãe pode ceder à depressão pós-parto.

É comum que a maioria das mães (aprox. 80%) passe pelo BabyBlues, a melancolia pós-parto. A mãe se sente fadigada, triste e desanimada, sem saber como sair disso. Família e amigos tampouco compreendem ou sabem como agir. O Babyblues é temporário e, geralmente, passa sem requerer tratamento. O apoio basta. Porém, alguns casos evoluem para Depressão Pós-Parto, que é o vilão da #Maternidade.

Publicidade

Depressão Pós-Parto é gravíssima e requer intervenção médica. A mulher se vê num “beco sem saída”, chegando a ter pensamentos suicidas. Os sinais são claros: choros frequentes, fala em se matar ou agredir o bebê, rejeita o filho, não se alimenta. Aquelas que tiveram depressão antes da gravidez têm mais chances de apresentar depressão pós-parto.

É importante saber apoiar a mulher nesses momentos para que não se acentue. Evitar frases como "Você deveria estar feliz", "Deus quis assim" e "Poderia ser pior" é essencial. Veja abaixo nossas dicas!

Como ajudar uma nova mãe no pós-parto

  • Pergunte o horário ideal para visitas

Recém-nascidos, geralmente, dormem e acordam a cada 2h. Por isso, 18h pode ser a melhor hora para você, mas pode ser a hora de ir dormir para a nova mãe. Antes de visitar, consulte se isso é uma boa ideia e qual é a melhor hora para a mãe.

  • Leve um lanche

Todo mundo adora presentear o bebê e esquece da mãe. Novas mães dormem mal e não conseguem se alimentar direito por conta do bebê.

Publicidade

Leve um bolo saudável, frutas secas, lanches frescos, qualquer coisa rápida e saudável, afinal, tudo vai para o leite!

  • Apoie a amamentação

Se ela decidiu amamentar, apoie e elogie a decisão. É o sonho de muitas e a maioria desiste por falta de apoio e excesso de palpites. Diga como o bebê parece feliz ao ser amamentado, que ele mama bem e como ela tem leite! Isso aumentará a auto-estima e dará forças para ela continuar!

  • Ajude com a casa

Se realmente quer ajudar e não só parecer bem na fita, mãos à obra! Via de regra, o trabalho de casa fica com a mãe, que está em licença maternidade enquanto o pai trabalha. E isso é muito exaustivo com um recém-nascido em casa. Lavar a louça na pia ou passar uma vassoura na sala já ajudará bastante.

  • Entretenha os outros filhos

Se a mãe tem outros filhos, é provável que eles estejam mais carentes de atenção ou enciumados com a chegada do bebê. Dê a atenção que eles anseiam, entretenha enquanto a mãe amamenta ou cuida do recém-nascido, assim estará ajudando a todos!

  • Cuide do bebê para ela relaxar

Banho diário e noite de sono é um sonho distante no pós-parto. Tudo que as mães querem é um banho tranquilo de pelo menos 10 minutos e uma soneca. Ofereça-se para olhar o bebê enquanto ela descansa um pouco ou toma um banho calmo, será o melhor presente de todos.

Gostou das dicas? Compartilhe com amigos e parentes que também conheçam uma recém-mãe para que eles possam ajudar ativamente e sejamos parte da mudança necessária para uma maternidade melhor! #depressãopósparto #pósparto