De acordo com o site Nature World News, o diretor da Divisão de Ciência Planetária da NASA, James Green, está otimista com a perspectiva de que vida extraterrestre poderá ser encontrada em cerca de 10 anos dentro do próprio Sistema Solar.

Green declarou que a agência espacial americana está voltando suas atenções para quatro alvos primários. Segundo ele, a NASA está usando uma nova abordagem com relação à possibilidade de existência de vida extraterrestre em locais próximos à Terra.

Os quatro locais que serão examinados a fundo são Marte, a lua Europa (pertencente a Júpiter) e as luas Titã e Encélado, ambas orbitando Saturno.

Publicidade
Publicidade

James Green revelou os planos da NASA de busca por vida fora da Terra em uma conferência conhecida como TED (Technology, Entertainment, Design), organizada pela fundação americana Sapling.

Pilares da vida

A vida extraterrestre da qual Green está falando, logicamente, engloba organismos mais simples, como, por exemplo, bactérias. De acordo com o cientista da NASA, a vida precisa de três elementos básicos para se sustentar: água em estado líquido, energia e matéria orgânica.

Os quatro alvos escolhidos pela NASA possuem todos esses ingredientes – ou outros elementos análogos, que tem a capacidade de desempenhar, por exemplo, um papel que substitui o da água –, portanto, pode ser que organismos tenham a capacidade de prosperar nos ambientes escolhidos para as investigações.

As razões para a NASA investigar Marte e as três luas

Marte parece completamente árido e frio atualmente, mas já abrigou água em estado líquido em sua superfície no passado.

Publicidade

Além disso, pode ser que ainda existam água e calor suficientes em seu subsolo para permitir que a vida microscópica possa ali existir.

A lua Europa, que orbita Júpiter, possui uma intrigante superfície feita de gelo, repleta de rachaduras e riscos coloridos. Cientistas acreditam que haja um oceano global debaixo dessa superfície congelada, permitindo que seres vivos possam prosperar do mesmo modo que ocorre na Terra, onde organismos conseguem sobreviver no fundo dos mares.

Titã é a única lua do Sistema Solar possuidora de uma atmosfera – que é composta, em sua maior parte, de nitrogênio. O metano presente nesta lua, devido às suas baixas temperaturas, se apresenta no estado líquido, compondo lagos e mares, e a NASA tem planos de enviar uma espécie de submarino para lá, a fim de procurar por evidências de vida nesses corpos líquidos.

Encélado, além de também ter um oceano global, possui vulcões que, ao invés de lava, ejetam água, cristais de gelo e sal, que caem de volta na superfície em forma de neve. Estes vulcões são uma evidência de que a água em estado líquido de Encélado pode estar muito perto da sua superfície congelada. #Curiosidades #Astronomia