Fatos sobre a raça pit bull têm sido muito polêmicos nestes últimos anos. Muitas pessoas consideram que essa raça devia ser extinta porque acreditam que esses #Animais são muito violentos e perigosos, como defendia Menalton Braff. 

A palavra "pit bull" engloba, na verdade, 3 espécies distintas de #Cães, mas que se relacionam entre si: a American Pit Bull Terrier, a American Staffordshire Terrier e também a Staffordshire Bull Terrier. Essas três raças surgiram a partir de diversos cruzamentos com o principal objetivo de criar cães que protegessem os rebanhos e que conseguissem caçar animais de grande porte.

Já foi várias vezes provado que os pit bulls são cães pacíficos, que possuem um forte instinto de guarda natural da própria família, sendo também um animal dedicado aos donos, mostrando uma grande resistência, mas só quando são corretamente criados e educados pelos seus donos.

Publicidade
Publicidade

O problema é que, na maioria dos casos, os cães de raça pit bull são criados para serem agressivos e não para preservar a principal característica dessa raça - a dedicação ao dono. 

Não é nada racional adotar um cão que tenha um comportamento dominante e dar a jovens ou crianças que não possuem qualquer experiência e capacidade para lidar com estes animais só porque está na moda ter um cão de raça pit bull. Assim como também não é racional educar esses animais para intimidarem as pessoas pela sua agressividade. 

Como será o futuro dessa raça?

Depois de tanta polêmica, o futuro da raça pit bull afigura-se bem negro, assim como para tantas outras raças que são consideradas perigosas ou agressivas. Por exemplo, na França ou na Alemanha é muito comum que os vizinhos dos donos de cães de raça pit bull reúnam-se para espancarem e envenenarem esses cães já que consideram que esses animais devem ser extintos, argumentando que são uma ameaça para a humanidade.

Publicidade

É importante que seja analisado o processo de educação e #Tratamento dessas raças apelidadas de "perigosas", uma vez que esses animais são, muitas vezes, tratados por criadores que trabalham exclusivamente com o objetivo de formar cães para combates onde se promove a seleção dos animais que possuem maior agressividade. É fácil concluir que o comportamento dos animais é o reflexo da educação que recebem.