O projeto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence, ou Busca por Inteligência Extraterrestre, em português) está analisando sinais de rádio misteriosos provenientes de uma estrela localizada a 95 anos-luz de distância da Terra (um ano-luz equivale a aproximadamente 9,46 trilhões de quilômetros), na direção da constelação de Hércules, identificada com a nomenclatura HD164595.

De acordo com o site "Observer", se este for mesmo um sinal artificialmente produzido por extraterrestres, existe a possibilidade de que esta civilização seja muito mais avançada do que a nossa.

Pra um melhor entendimento, existe uma escala, proposta pelo astrofísico russo Nikolai Kardashev, que classifica o grau de desenvolvimento tecnológico de uma civilização.

Publicidade
Publicidade

Nesta escala, a civilização humana é caracterizada como "Tipo I", porque é capaz de aproveitar a energia que o seu planeta hospedeiro pode oferecer.  

Pelas características da força do sinal captado de HD164595, e se não se tratar de um fenômeno natural – pois existe essa possibilidade, e tudo não passe de um erro de interpretação –, a possível civilização extraterrestre ali presente poderia ser classificada como "Tipo II", que é capaz, em teoria, de aproveitar toda a energia proveniente de uma estrela.

Sinal potente

O site "Observer" relatou que o sinal vindo de HD164595 foi detectado, originalmente, no dia 15 de maio do ano passado, pelo radiotelescópio RATAN-600 baseado em Zelenchukskaya, na Rússia, e mantido em segredo por parte da comunidade científica internacional. O site enfatiza que a força do sinal poderia indicar a existência de um suposto aparato tecnológico conhecido como "farol isotrópico", um potente emissor que envia sinais em todas as direções do espaço, enquanto promove sua força ao longo do trajeto.

Publicidade

Ainda de acordo com o "Observer", o italiano Claudio Maccone e o russo Nikolai Bursov são os principais cientistas trabalhando com a aparente descoberta, e que tanto a detecção do sinal misterioso, quanto as investigações que ainda estão por vir, serão discutidas durante o 67º Congresso Internacional de Astronáutica, que acontecerá em Guadalajara, no México, em 27 de setembro. #Curiosidades #Astronomia