Trata-se de uma tecnologia desenvolvida pela Fundação Parsemus, uma instituição estadunidense sem fins lucrativos, que pretende disponibilizar maior controle contraceptivo de longa duração e de forma não hormonal.

O #Medicamento, feito a partir de um polímero, tem a consistência de um gel e será aplicado por meio de uma única injeção capaz de evitar gravidez por vários anos. O período exato ainda não foi determinado, mas os testes em animais já ultrapassaram a faixa do 1º ano com pleno êxito.

Baseando-se em um outro medicamento indiano chamado RISUG (também em fase de testes), de funcionamento semelhante, é possível estimar que o Vasalgel terá duração preventiva de pelo menos 10 anos após a aplicação, já que o que se espera é uma versão ainda mais eficiente.

Publicidade
Publicidade

Como funciona?

O anticoncepcional Vasalgel funciona como uma barreira aos espermatozoides.

Aplicado no lúmen do duto deferente, que é o canal que permite o transporte dos espermatozoides, o homem ejaculará um sêmen contendo apenas os líquidos seminais e os prostáticos, sem os espermatozoides; evitando, assim a fecundação.

Os espermatozoides acumulados são reabsorvidos pelo corpo e não causam nenhum dano à saúde.

O efeito é similar ao procedimento cirúrgico da vasectomia, intervenção cirúrgica em que estes canais são cortados.

A principal diferença entre a vasectomia e o Vasalgel reside na possibilidade de fácil reversão. Caso deseje, o homem pode se submeter a uma outra injeção, a base de bicarbonato de sódio que terá a função de desfazer a barreira.

Além disso, há também a conveniência de não ter que passar por um procedimento cirúrgico, uma vez que a aplicação do gel é feita em consultório com uma simples anestesia local.

Publicidade

No mês de agosto deste ano, os desenvolvedores anunciaram ser possível identificar, via ultrassonografia, que o gel permanece integralmente no local desejado; bem como checar periodicamente, por meio do espermograma, que o medicamente está com sua funcionalidade preservada.

Pioneirismo e previsão de chegada ao mercado

Apesar de seguir o padrão de outros medicamentos em desenvolvimento, como por exemplo o indiano RISUG, Vasalgel tem uma fórmula completamente diferenciada.

O #Contraceptivo indiano está em desenvolvimento desde a década de 90, tendo sido testado, contudo, apenas em habitantes locais e produzido de acordo com a normativas da indústria farmacêutica no país.

Já o anticoncepcional estadunidense tem seu desenvolvimento pautado conforme as normas atuais da Food and Drug Administration e conta com a pretensão de lançamento ao mercado mundial em 2017.

O primeiro ensaio clínico do Vasalgel irá ocorrer este ano (2016), de acordo com a Parsemus Foundation. No entanto, mesmo após a conclusão e a aprovação dos testes em seres humanos, demorará pouco mais de um ano até que o produto chegue ao mercado.

Publicidade

Registre-se que, no Brasil, porém, ainda se fará necessária a aprovação para que o medicamento seja comercializado internamente.

Preço

A Parsemus afirma que não busca lucro, que o objetivo é produzir um método contraceptivo acessível que custará o suficiente para sustentar a marca.

A Fundação Parsemus prevê que o valor do contraceptivo será inferior a US$ 400, cerca de R$ 1.300,00 (mil e trezentos reais).

Vale lembrar que o novo método não deve substituir o uso da camisinha, já que não oferece qualquer prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis. #AIDS