O site Mirror, do Reino Unido, revelou que um tratamento envolvendo um procedimento semelhante ao de implantes de mama salvou a vida do americano Dylan Little, de quatro anos de idade, que reside em Atlanta. O garoto nasceu com uma condição rara, que afeta uma em cada 20 mil pessoas, conhecida como Nevo Melanocítico Congênito Gigante, ou NMC.

A doença hereditária se caracteriza pelo aparecimento de pintas escuras que cobrem a pele. No caso de Dylan, as manchas são dolorosas, e já chegaram a cobrir 80% de seu corpo – quando nasceu, as costas inteiras do garoto estavam afetadas.  

Os pais do menino, sabendo que essas manchas e pintas poderiam se transformar em um câncer de pele fatal, resolveram iniciar um #Tratamento engenhoso que está dando resultados positivos.

Publicidade
Publicidade

Para tanto, implantes semelhantes aos de mama são colocados sob a pele menos afetada de Dylan, e, do mesmo modo que se faz em algumas cirurgias de aumento de seios, são enchidos com solução salina. Assim, o tecido saudável é esticado, e após três meses, é extraído e usado em cirurgias plásticas para substituir as partes adjacentes da pele afetadas pela NMC.

Longo processo

Dylan já realizou 26 cirurgias reparadoras, e mais de 50% de todo o tecido de seu corpo atingido pela NMC já foi removido.

O garoto também faz exames de ressonância magnética duas vezes por ano, para garantir que as manchas e pintas não tenham se transformado em tumores, que no seu caso, poderiam afetar também o cérebro e a coluna vertebral.

Segundo o Mirror, a mãe do menino, Kara, de 38 anos de idade, relatou que Dylan passa por cirurgias periodicamente, em intervalos que variam entre três e seis meses, dependendo do tamanho da área afetada.

Publicidade

Ela afirmou também que, infelizmente, a família já enfrentou preconceito por parte de pessoas que desconhecem a rara condição da criança, tendo, inclusive, chamado o menino de "monstro".

No entanto, Kara não escondeu a condição de seu filho – muito pelo contrário. Sempre que sai de casa, Dylan distribui cartões que contêm, além de explicações sobre sua doença, um link para uma página no Facebook que contém informações sobre a NMC. #Medicina