Após ser atingida por um #raio e sofrer com as sequelas, como as fortes dores nas costas, uma jovem de 18 anos ainda foi enterrada viva. Quem a enterrou? A própria família. Isso mesmo. De acordo com os familiares, este método livraria a menina dos possíveis incômodos, após ser atingida pelo raio.

O método

Os parentes cavaram um buraco e enterram Ana Ballesteros, que ficou com apenas o pescoço para a fora. Isso durante três vezes na semana.

A família explicou que a terra é capaz de tirar a "energia" ruim que ainda há nela, causada pelo acidente. O método seria uma espécie de fio-terra. 

O raio atingiu a jovem quando esta ia ao colégio e, mesmo após o tratamento no hospital, ela não conseguia andar normalmente, porque sentia fortes dores nas costas.

Publicidade
Publicidade

A jovem contou que acredita nos benefícios deste método adotado pela família e diz que irá melhorar ao ser #enterrada: “Médicos estudam medicina, não raios. Sei que se ficar dentro do buraco, vou melhorar, porque os ancestrais faziam isso”, explicou Ana.

A mãe da menina complementa: “Estou rezando para que o tratamento funcione, confio em Deus”, disse a mãe de Ana.

Porém, até agora, não há sinais de melhora de Ana Ballesteros.

As lesões causadas pelo raio

Conheça aqui as reais lesões causadas pelo "choque" do raio:

  • Queimaduras: quando a corrente elétrica não atravessa o corpo, as queimaduras são moderadas. Porém, queimaduras graves podem ser causadas quando a corrente passa pelo corpo.
  • Efeitos neurológicos: muitas pessoas sofrem de amnésia após o acidente por conta da passagem da corrente elétrica na estrutura encefálica. Também pode ser causado coma e, até mesmo, uma paralisia induzida por raio, lesão periférica acompanhada de distúrbios vasomotores pode ocorrer nas primeiras 24 horas.
  • #lesões cardiovasculares: o indivíduo atingido por um raio pode sofrer de parada cardiorrespiratória por assistolia ou fibrilação ventricular.
  • Lesões respiratórias: o indivíduo pode ser acometido por lesões respiratórias, como ruptura brônquica.
  • Lesões neurosensoriais: podem acontecer lesões oculares por conta do descolamento de retina, assim como lesões auditivas e outras.

Ainda podem ocorrer efeitos musculares, efeitos renais, efeitos cutâneos e outras consequências indiretas.

Publicidade