Uma pesquisa feita na Universidade Dokuz Eylul,na cidade de Imir, Turquia e divulgada pelo Daily Telegraph, demonstrou que o velho hábito de jantar à noite pode ser considerado como uma importante causa de morte provocada por ataques cardíacos, muito mais que uma alimentação com uma elevada quantidade de sal. 

A pesquisa coordenada pela médica, pesquisadora e professora adjunta da disciplina de Cardiologia da instituição de ensino turca, Ebru Ozpelit, demonstrou a associação entre uma maior frequência de casos de mortes associadas a pacientes que tinham por hábito fazer a refeição noturna após o período das 19 horas. Este fato está associado com quadros atípicos de alteração da pressão arterial, que é mais relevante em pessoas que mantinham este tipo de rotina.

Publicidade
Publicidade

Na opinião da pesquisadora, a agitação e a correria da vida moderna podem ser consideradas como fatores que induzem a grande maioria das pessoas a não adotarem hábitos de vida saudáveis, incluindo o cuidado com a alimentação.

Quais as conclusões que foram elaboradas a partir dos dados obtidos com a pesquisa

Para que os cientistas pudessem chegar à conclusão de que o hábito de comer noturnamente poderia aumentar as chances de um súbito ataque cardíaco, foi realizado um estudo com mais de 700 pessoas, entre homens e mulheres que já possuíam algum histórico de quadros de alteração da pressão arterial. Os cardiologistas puderam observar que sempre que estes pacientes se alimentavam no período noturno, principalmente em horários mais tarde, as alterações relacionadas com a circulação sanguínea eram bem mais frequentes.

Publicidade

Diante dos dados clínicos encontrados, os pesquisadores e profissionais cardiologistas puderam concluir que o hábito de se alimentar mais tarde parece que deixa o corpo humano em um estágio de 'prontidão' com mais frequência. Com isto, a pressão sanguínea chega a se elevar em até 25%. Este fato contribui significativamente para quadros graves de colapsos cardíacos.  De acordo com os padrões médicos, os valores medidos da circulação arterial deveriam cair em torno de 10%  no período noturno, o que seria ideal para garantir um noite mais tranquila e livre de maus súbitos.

A pesquisa ainda concluiu que o horário mais correto para que se possa fazer as refeições noturnas seria até às 19 horas, pois seria o tempo ideal que o organismo teria para conseguir reduzir a pressão sanguínea e evitar a ocorrência de ataques. O estudo mostrou ainda que o hábito de se comer poucas horas antes de ir dormir, pelo menos duas horas antes, elevaria o risco de morte.

De acordo com a doutora Ebru, novas recomendações junto à Sociedade Europeia de Cardiologia, a respeito de uma alimentação mais equilibrada, deveriam incluir também qual seria o intervalo ideal entre as refeições, além da frequência e do tipo de alimento a ser ingerido.   #Hábitos alimentares #Doença #Saúde