Será que tomar #banho com seu filho tem problema? Será que você pode tomar banho com seu filho?

Bom, por volta dos dois anos é quando a #criança começa a perceber as diferenças entre o corpo dos pais e o corpo dele. É quando ele começa com os olhares curiosos e começam a surgir algumas dúvidas. Mas está tudo bem! Isso é normal e faz parte do desenvolvimento da criança. 

Grande parte das pessoas não veem problemas em tomar banho com seus filhos ou se trocar na frente deles. Eles estão errados? Está errado tomar banho com seus filhos?

Não existe certo ou errado, tudo vai depender da dinâmica da família e sobre como vocês se sentem em relação a situações como essas. De acordo com a psicóloga Melina Blanco Amarins, do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), os pais só devem fazer isso quando sentirem-se confortáveis para tal comportamento. E tem mais.

Publicidade
Publicidade

A psicóloga Harumi Kaihami, do Ambulatório de Pediatria Social do Hospital Sírio Libanês (SP), aconselha ainda que nessas horas vale aproveitar as dúvidas da criança para explicar as diferenças entre homens e mulheres.  “Seja objetivo e responda apenas à pergunta que ela fizer, sem entrar em outros assuntos”, explica a especialista, em entrevista à revista Crescer.

Então, ao explicar, use o nome certo dos órgãos genitais para que a criança possa aprender corretamente, sem recorrer a apelidos, assim evita que a criança repita tais apelidos e acabe virando motivo de chacota entre amigos. Durante essa conversa, enfatize ainda que não há motivos para ter vergonha do corpo. Ao crescer, pode ser que seu filho (ou sua filha) prefira tomar banho sozinho ou se trocar sem ninguém por perto. Respeite essa decisão.

Publicidade

Isso pode acontecer por volta dos oito anos de idade, mas não se preocupe caso aconteça mais tarde, isso não é um problema desde que a criança saiba a importância da privacidade.

Então, antes de decidir se você deve ou não tomar banho ou se trocar na frente das crianças, reflita se ambos sentem-se confortáveis com a situação. Nada de forçar a barra. Caso contrário, a criança irá perceber aquela situação como desagradável e poderá criar uma imagem ruim sobre #nudez.