Atividades profissionais excessivas, que exigem maior concentração e são exercidas sob tensão e pressão por resultados, têm se tornado cada vez mais comuns no mercado de trabalho em todo o mundo.

Em uma realidade profissional competitiva, alcançar objetivos e superar metas de trabalho significam conquistar status e reconhecimento com promoções e melhores salários. Por outro lado, a obrigação da obtenção de excelentes resultados pode se transformar em um esgotamento mental que será sentido fisicamente com dores de cabeça, mal estar e dores pelo corpo, além de problemas no organismo como úlceras e gastrites.

A necessidade de descanso para o cérebro é demasiadamente ignorada pela maioria dos seres humanos, especialmente os mais ativos, com intensas realizações profissionais, que exigem ininterrupto esforço cerebral intelectual em atividades que exigem empreendedorismo, pensamento rápido e criatividade, deixando o órgão exausto com tantas atribuições tomadas ao mesmo tempo e por longos períodos.

Publicidade
Publicidade

Pesquisadores alertam para a gravidade do esgotamento mental,indicando-o em muitos casos como mais nocivo do que o cansaço físico em virtude das consequências emocionais que ocasionam.

Para a psicóloga Marisa de Abreu Alves, a Síndrome de Burnout - distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de um estado de esgotamento físico e mental, cuja causa está intimamente ligada à vida profissional, segundo Herbert J. Freudenberger, psicanalista nova-iorquino morto em novembro de 1999 - está cada dia mais presente nos diagnósticos de pessoas que desempenham suas funções em ambientes de trabalho desarmonizados e com chefes que tomam atitudes agressivas e incoerentes com as boas relações humanas.

Em situações assim, por mais que o profissional se esforce, ele não consegue enxergar, em si próprio, competência para cumprir metas e realizar projetos e essa auto cobrança indevida causa o esgotamento mental referente à síndrome.

Publicidade

Algumas profissões tem maior incidência da enfermidade exatamente por estarem relacionadas diretamente às angústias de outrem. São os casos dos profissionais de resgates em acidentes, policiais, enfermeiros, professores (especialmente os da rede pública de ensino) e médicos.

Em geral, a Síndrome de Burnout apresenta sintomas bastante semelhantes com os relacionados à depressão como dificuldade de concentração, preferência por opiniões negativas, reações violentas e comportamentos agressivos contra outras pessoas, falta de vontade em realizar ações relacionadas ao trabalho ou ao lazer e alteração repentina do humor como transtornos bipolares, por exemplo.

O quadro na síndrome acarreta em noites mal dormidas, dores de cabeça, no corpo, na barriga, excesso de suor e dificuldade de digestão.

Tratamento

O acompanhamento de um médico profissional especializado em psicologia é insubstituível. Só a psicoterapia, realizada com aplicações técnicas, conforme a demanda da enfermidade apurada, poderá ajudar o paciente no desenvolvimento de auto defesa do organismo quando em situações referentes ao esgotamento mental.

Publicidade

Um dos métodos aplicados é o treinamento classificado por assertividade e que consiste em fazer o paciente não se intimidar ao dizer a palavra 'NÃO' quando ela tem de ser dita, evitando assim transtornos e constrangimentos. Além disso, outra forma utilizada no tratamento diz respeito a como lidar com colegas de trabalho e outras pessoas de convívio social, orientação profissional e vocacional e outras práticas.  #Dicas #Saúde