Um #Vídeo publicado recentemente nas redes sociais tem causado revolta nos internautas de todo o mundo. Na gravação, aparece uma mulher ensinando o filho a fumar. Detalhe, o menino tem apenas dois anos. 

Mesmo que o cigarro estivesse apagado, os internautas comentaram no vídeo apontando outros problemas: eles apontaram que além da cena da mãe influenciando o próprio filho tão pequeno ao vício, o menino ainda está dentro de um carro em movimento, no banco do carona e sem a proteção do cinto de segurança.

Não há informações sobre quando ou onde o vídeo foi feito. Assista:

Como incentivar seu filho a não fumar

Ao contrário do que fez essa mãe, aqui nós vamos te ajudar para que você incentive seu filho a não #fumar.

Publicidade
Publicidade

Como? Explique para ele alguns motivos para evitar o tabaco.

  • O tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo: 10% dos fumantes têm a expectativa de vida reduzida em 20 anos.
  •  O consumo do tabaco causa aproximadamente 50 tipos de doença.
  • O consumo de #cigarro causa impotência sexual no homem e complicações na gravidez para a mulher.
  • O tabagismo pode provocar aneurismas arteriais, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias, trombose vascular e outros problemas similares.
  • O hábito de fumar resseca e provoca o envelhecimento precoce da pele, reduz o paladar e o olfato, provoca a queda de cabelo e reduz o fortalecimento muscular.
  • Ao dar uma tragada, a nicotina é absorvida pelos pulmões e chega ao cérebro em apenas nove segundos em média.
  • O fumo é perigoso para quem está perto dos fumantes, os chamados fumantes passivos. 

Esses são apenas alguns motivos para evitar o tabaco, ainda existem muitos outros.

Publicidade

De qualquer forma, podemos concluir que o cigarro é extremamente maléfico para a saúde tanto de quem fuma, como a saúde de quem está próximo aos fumantes. 

Portanto, pense bem antes de fumar, você pode evitar todos os malefícios causados a você a outras pessoas que te rodeiam.

E claro, nunca incentive alguém ao fumo. Muito menos uma criança, como acontece nesse vídeo polêmico.