#Síndrome do choque é uma doença grave e rara, que pode levar à morte. Ela é praticamente desconhecida pela população e até mesmo por alguns médicos. Sua causa é relacionada a uma bactéria que se desenvolve por causa do uso de um produto bastante conhecido das mulheres, o absorvente. Pentwater, é uma pequena vila localizada no estado americano Michigan, lá, mora uma jovem adolescente de 16 anos chamada de Katrina Shelton, a garota teve dias difíceis ao ter que lutar bravamente contra a morte, após desenvolver essa grave e raríssima doença.

Ao sentir-se mal, a família de Katrina Shelton procurou rapidamente os médicos, que, em um primeiro momento, diagnosticaram a garota com uma simples virose.

Publicidade
Publicidade

Os sintomas do suposto vírus começaram a se agravar velozmente, e a paciente começou a demonstrar preocupantes sinais de fraqueza intensa e febre alta. Com o agravamento da situação, os médicos transferiram imediatamente Katrina Shelton para uma unidade de tratamento intensiva (UTI), e só então, a menina foi diagnosticada corretamente com síndrome do choque tóxico.

A paciente conta que, quando acordou, não podia movimentar a parte direita de seu corpo, que tentava insistentemente mexer a perna e a mão e não conseguia, o que fez ela inevitavelmente começar a surtar e entrar em desespero. Katrina Shelton conta ainda que não lembra de muita coisa, apenas que tem uma vaga lembrança de que sua mãe precisou levá-la para o carro porque ela não conseguia se locomover.

Como a síndrome do choque tóxico é causada por uma bactéria decorrente do uso do absorvente, os médicos acreditam que esse seja o produto causador do problema na menina de 16 anos, mas a garota afirma que não usou o absorvente por mais tempo que o recomendado.

Publicidade

Katrina Shelton foi medicada, tratada, se recuperou, e foi orientada pelos médicos para não usar absorvente novamente. A garota conta que ficou surpresa com as recomendações e com o fato ocorrido, pois alega que sempre vê e lê as etiquetas de advertências do produto, mas, nunca imaginaria que algo tão grave e raro poderia acontecer com ela. #Curiosidades #Saúde