Um dos maiores mitos quando se chega à adolescência está relacionado à masturbação. A prática é cercada de muito preconceito, além de boatos. Mas o que é falso ou verdadeiro em torno desse tema? Para esclarecer homens e mulheres, o médico Fernando Almeida, professor de urologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), conversou com o portal de notícias da Globo, o G1, explicando o que para muita gente pode ser uma revolução no tema, a masturbação, feita com moderação, previne doenças, ou seja, ela pode até salvar a vida do seu praticante. Atualmente, mais de 90% dos homens já pratica o ato de sentir prazer sozinho. 80% das mulheres fazem o mesmo, mostrando que o tabu sexual no meio feminino é cada vez menor. 

O médico, no entanto, alerta para que isso seja feito moderadamente, já que do contrário, ao invés de benefício, a prática trará é problemas para o seu praticante.

Publicidade
Publicidade

Em relação aos benefícios, o urologista revela que se masturbar traz uma felicidade instantânea. A sensação de prazer diminui o estresse e também as dores. Nas mulheres, isso fica ainda mais evidente no período em que aparecem as dores menstruais. Além disso, quem se masturba tem a imunidade fortalecida, sendo mais difícil, por exemplo, adquirir uma gripe. 

Conhecer o próprio corpo ainda costuma ajudar as pessoas durante o sexo, prevenindo a ejaculação precoce, um mal temido pela maioria dos homens. Também para eles, aparece o dado mais surpreendente dito pelo médico da Unifesp, o de que quem se masturba tem menos chance de ter um câncer de próstata. Muitos pacientes que tem a doença até são aconselhados a praticarem o ato.

Mas também são necessários cuidados para ter o prazer utilizando as mãos.

Publicidade

Entre eles estão os de higiene, lavando sempre bem as mãos e após o gesto, também fazer a higienização da área íntima, usando águas. Sabonetes comuns, por terem PH diferente ao da pele, podem acabar gerando hipersensibilidade na região. Por isso, o mais aconselhado é que se use um específico para a região. #Saúde