Parece coisa de cinema, como no filme A Outra Face, em que o agente do FBI interpretado por John Travolta usa o rosto do vilão para se infiltrar em seu bando e frustrar seus planos terroristas (enquanto isso, o terrorista, interpretado por Nicholas Cage, assume o rosto e a identidade do mocinho do FBI), mas não é. Na Polônia, uma jovem, identificada apenas como Joanna, apresentou em uma coletiva de imprensa sua nova face após um #Transplante total de rosto.

Tendo seu rosto tomado por um #Tumor que a impossibilitava de falar, mastigar e engolir, ela foi operada pelo Dr. Adam Maciejewski, que já tinha sido responsável pelo primeiro transplante de face no país do Leste Europeu.

Publicidade
Publicidade

O paciente anterior do cirurgião polonês foi um homem cujo rosto tinha sido arrancado por uma máquina.

“E viu que isso era bom”

Embora não se possa saber se, como Deus ao fim de cada dia de Sua obra, segundo o relato do Gênesis, o Dr. Maciejewski aproveitou o fim do procedimento médico para contemplar sua criação e se satisfazer com os resultados, sabe-se que a recriação do rosto da jovem teve seu quê de proporções bíblicas: a equipe precisou de 23 horas, quase um dia inteiro, para concluir a operação, que envolveu o transplante 80% da pele do rosto. A operação do paciente anterior tinha levado 27 horas.

Depois da longa caminhada, a vitória da ciência

A técnica de transplante total de rosto, que ajudou Joanna, é razoavelmente recente, tendo sido posta em ação pela primeira vez em 2010, para tratar um fazendeiro espanhol que havia se ferido em um acidente de caça e, como a polonesa, tornara-se incapaz de falar e comer.

Publicidade

Antes disso, em 2005, uma paciente francesa, Isabelle Dinoire, falecida em abril deste ano, havia recebido, meses depois de desfigurada por um ataque canino, queixo, lábios e nariz de um doador com morte cerebral. Desde então, o transplante facial tem feito progressos rápidos. No ano passado, o bombeiro voluntário americano Patrick Hardison, que teve o rosto queimado depois que o teto de uma casa em chamas no qual tentara um resgate caiu sobre ele, passou por um procedimento que os médicos chamaram de “o mais complexo transplante de rosto já efetuado”.  

E o tumor teve que engolir o pó da derrata

De acordo com o Dr. Anand Saggar, especialista em genética consultado pelo jornal britânico Daily Mail, como a pele do rosto que Joanna recebeu é de outra pessoa e carrega genes diferentes, não há razão para acreditar que a neurofibromatose, a condição genética incurável que provocou o surgimento do tumor, vá atacar novamente o rosto de Joanna. #Curiosidades