Namorar, casar, ter filhos. As duas primeiras opções ainda podem estar na lista da mulher moderna, a última, porém, tem sido gradativamente retirada do rol de seus sonhos, o que confirma os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em 1980 a média de filhos por mulher no Brasil era de 4,4, hoje é de apenas 1,72. 

Paula Oshikawa, jovem de 25 anos, casada e bem-sucedida em seu trabalho, luta para realizar a #Laqueadura, #Cirurgia de esterilização que consiste no corte das tubas uterinas impedindo que o espermatozoide chegue ao óvulo resultando numa fecundação. Em uma entrevista ao programa televisivo Hoje em Dia, Paula afirmou: “ter um filho hoje tiraria todo o meu estilo de vida, minha estabilidade financeira, minha liberdade...”, disse a moça, em entrevista ao programa Hoje em Dia.

Publicidade
Publicidade

Apesar de a Lei Brasileira permitir a laqueadura tubária em mulheres com mais de 25 anos ou que tenham mais de 2 filhos, os médicos são recomendados a desestimularem o procedimento pois, pode gerar um certo arrependimento, visto que a cirurgia é irreversível, por isso deve ser encarada como última escolha. No entanto, jovens como Paula, estão irredutíveis em suas decisões e lutando pela realização da cirurgia. “As pessoas tem que parar de mostrar só o lado positivo da #Maternidade", disse Paula. 

Conforme a ginecologista Patrícia Varella, não há problema nenhum da mulher optar por não ter filhos, porém essa é uma decisão que a incomoda do ponto de vista médico, uma vez que pode acarretar problemas futuros para a paciente, como acarretou para muitas mulheres que passaram pela laqueadura e se arrependeram amargamente.

Publicidade

Sandra Costa, de 37 anos é uma delas, “se eu soubesse o que estaria vivendo hoje, se eu tivesse uma bola de cristal, eu jamais teria operado”, afirma. 

Uma vez feita a Laqueadura, é praticamente impossível reverte-la, por isso algumas mulheres como a Sandra, que já fizeram e se arrependeram se unem em um grupo na rede social para trocarem experiências e de alguma forma tentar lutar por algum milagre de reversão. 

Devido à precocidade da escolha e o arrependimento da maturidade, o tema é polêmico. Por isso a decisão deve ser pensada muito bem antes de dar a última sentença.