A NASA anunciou que recebeu nesta última semana os últimos pacotes de dados enviados pela sonda New Horizons. A sonda sobrevoou #Plutão em 14 de julho de 2015 e reuniu nada menos que 50 GB de imagens e dados do planeta anão e de suas cinco luas. Devido à distância da Terra, cerca de 5 bilhões de km, a sonda demorou 15 meses para conseguir enviar todos os dados recolhidos, numa taxa de 2.000 bits por segundo. Isso é quase tão rápido quanto os modems da década de 1980. A intenção da equipe que construiu a sonda era concebê-la para armazenar rapidamente a maior quantidade de informação possível sobre o Plutão. Por questões de prioridade, hardware e economia, foi instalado um sistema de comunicação menos robusto que o de outras naves espaciais.

Publicidade
Publicidade

Para fazer o download, a #Nasa utilizou antenas em Canberra, na Austrália. O último segmento de dados é uma sequência de observação com foco em Plutão e sua maior lua, Caronte.

Lançada em 2006, dos Estados Unidos, a bordo do foguete Atlas, a sonda, que tem o tamanho de um piano, carrega 7 instrumentos científicos e demorou 9 anos para alcançar o mais famoso planeta anão. Ela está tão distante, que os dados enviados demoram mais de 5 horas para chegar à Terra.

Plutão

Antes do sobrevoo da New Horizons, Plutão era visto como um borrão de luz pelos telescópios terrestres. A New Horizons mostrou um mundo belo e complexo. A NASA conseguiu estudar a composição, geologia e atmosfera de Plutão e de Caronte, além de fotografar as outras 4 pequenas luas. Recentemente descobriu-se que Plutão pode ter nuvens e que ele possui a maior geleira de nitrogênio conhecida do Sistema Solar.

Publicidade

Próximo alvo

A missão da sonda ainda não terminou. Neste momento, a New Horizons está atravessando o Cinturão de Kuiper, um grande anel de mundos gelados, como Plutão, e que fica além de Netuno. A NASA planeja fazer uma mudança de curso para que a sonda faça um encontro com 2014 MU69, um objeto de 32 km de diâmetro e que está 1 bilhão de km de distância de Plutão. A visita deve ocorrer em 1 de janeiro de 2019.