Desde julho de 2015 em Plutão (rebaixado a planeta anão), a sonda New Horizons da Agência Espacial Americana (NASA), encerrou neste mês a insólita missão em torno do astro gelado, depois de reunir centenas de dados inéditos sobre as características daquele corpo celeste.

Segundo a mídia norte-americana especializada em ciência e astronomia, Space.com, funcionários da NASA revelaram que as últimas informações captadas pela sonda foram enviadas ao Laboratório de Física Aplicada (APL), em Laurel, Maryland (#EUA), na manhã da última terça-feira (25).

De acordo com os cientistas envolvidos no projeto, devido ao fato da nave estar distante 5,5 bilhões de quilômetros da Terra, os sinais enviados da sonda para o nosso planeta demoram cinco horas para percorrer o longínquo trajeto, na velocidade da luz.

Publicidade
Publicidade

Para o pesquisador Alan Stern, responsável pela liderança da missão, as informações de Plutão enviadas pela sonda surpreenderam a todos os envolvidos no trabalho. "Os dados do sistema de Plutão que a New Horizons recolheu nos espantou uma e outra vez com a beleza e a complexidade de Plutão e seu sistema de luas", declara Stern.

Em decorrência da longa distância percorrida pelos dados enviados pela nave, o cientista destaca que ainda faltam muitos aspectos do planeta a serem analisados. Afinal, cada notícia sobre Plutão atravessa bilhões de quilômetros do espaço profundo para chegar ao conhecimento dos envolvidos na pesquisa.

Lançado ao espaço em janeiro de 2006, a um custo de 700 milhões de dólares, a New Horizons foi a primeira sonda da história humana a chegar mais perto de Plutão. Em 14 de julho de 2015, por exemplo, ela se aproximou 12.550 km da gélida superfície do planeta anão.

Publicidade

Durante o voo rasante, a NASA salienta ter reunido mais de 50 gigabits de informações, cerca de cem vezes mais dados do que a nave era capaz de enviar imediatamente ao controle da missão. Por isso, informações sobre o astro ainda continuarão a ser enviadas.  

Novos desafios

Nesse momento, a New Horizons ruma em direção a um pequeno e emblemático objeto nos confins do Sistema Solar, chamado de 2014 MU69, distante 1,6 bilhão de km de Plutão.

A Agência Espacial Americana acredita que em janeiro de 2019 a nave fará a primeira aproximação do misterioso objeto celeste.

Após a sonda enviar todos os dados de Plutão para o pessoal do Laboratório de Física Aplicada, as informações contidas na memória da nave serão deletadas. A medida objetiva abrir espaço para os dados que serão captados em 2014 MU69.

Abaixo, veja um vídeo das fotos tiradas pela New Horizons.

#Inovação #Curiosidades