Um grande problema de saúde para as pessoas de várias partes do mundo e que acaba provocando muitas vezes terríveis dores aos que são acometidos por esse problema, são os cálculos renais, ou comumente classificados como pedras nos rins. Entretanto, a grande surpresa para uma possível resolução desse mal, parte de dois médicos norte-americanos, os quais afirmam por meio dos resultados de pesquisas realizadas por eles mesmos, que os indivíduos que têm pedras nos rins podem se livrar das mesmas, bastando que para isso, andem de montanha-russa.

Por terem ouvido os testemunhos de pacientes que alegam ter eliminado os seus cálculos renais depois que tiveram a oportunidade de brincar na famosa montanha russa Big Thunder Mountain Railroad, localizada no parque temático Magic Kingdom da Disney, os profissionais em #Medicina, David Wartinger e Marc Mitchell, passaram a pesquisar melhor o tratamento meio que descoberto por acaso, conferindo uma possível credibilidade científica ao mesmo.

Publicidade
Publicidade

A fim de transformar a teoria em uma verdade absoluta, ambos os médicos resolveram “construir” um rim artificial obtido através de uma impressão em 3D e assim, testar o órgão à base de silício translúcido, que tinha pedras em seu interior, imitando um rim humano normal, que sofresse com cálculos renais. O órgão artificial era quase que real, pois continha urina e mais três pedras de tamanhos distintos, foi transportado pelos cientistas até a Disney, mais especificamente à Big Thunder Mountain Railroad, para fins de validação de um tratamento médico específico que se baseia na lei da gravidade e deslocamentos mecânicos.

Os resultados dos testes feitos pelos médicos revelaram que, após 20 voltas completas pela montanha russa, o cálculo renal situado na porção superior do rim, deu uma resposta satisfatória ao “tratamento” recém criado, que foi a sua expulsão em todas as tentativas executadas.

Publicidade

Mas a pedra que estava na região inferior do órgão não saiu com tanta facilidade assim, só tendo sido expelida em  40% das vezes.

A explicação do que acontece foi bem simples: uma vez que “chacoalhada”, age como um estímulo à expulsão das pedras, mas desde que as mesmas tenham no máximo o tamanho de 5 milímetros. Casos em que o cálculo é maior do que essa medida, acabam por provocar dor aguda e precisam de intervenção cirúrgica convencional para serem extirpados.

Vale destacar que para o tratamento ser totalmente eficaz, a montanha-russa terá de alcançar a média de uma velocidade de 65 quilômetros por hora e o trajeto deverá ser feito em um traçado de quedas vertiginosas, curvas extremas, desde que não tenham loopings -ee ainda mais, o passeio é totalmente benéfico à saúde dos rins, quando o paciente se senta na parte traseira dos carrinhos que compõem a montanha-russa. #Entretenimento #Doença