A #Tuberculose é uma #Doença causada pela bactéria bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis) que, é transmitida pelo ar e se aloja nos pulmões, destruindo pouco a pouco o órgão.

No primeiro mês de vida, o paciente toma a vacina BCG (Bacilo de Calmette-Guerin) para prevenir as formas mais graves da doença, porém, ela não impede que o indivíduo seja infectado posteriormente pela bactéria.

Em muitos casos, o bacilo de Koch se torna resistente a certos tipos de antibióticos, o que torna o tratamento ainda mais difícil. 

Normalmente, a tuberculose está associada à pobreza e a condições insalubres, ocorrendo principalmente nos países subdesenvolvidos, onde não há recursos financeiros suficientes para prevenção e tratamento da epidemia.

Publicidade
Publicidade

Alerta da OMS

Segundo dados apresentados no Relatório Global da Tuberculose, publicado na quinta-feira (13/10) pela Organização Mundial de #Saúde (OMS), em 2015 10,4 milhões de pessoas no mundo todo foram contaminadas com a tuberculose.  De acordo com a organização, os países precisam agir rápido para erradicar a epidemia a fim de cumprir as metas globais.

Conforme o Relatório, o Brasil está entre os 20 países com maior incidência de tuberculose no mundo, apresentando mais de 81 mil casos notificados em 2015. Índia, Indonésia, China, Nigéria, Paquistão e África do Sul, representaram cerca de 60% dos novos casos da doença.

Desafios da Organização

A OMS visa reduzir o número absoluto de mortes por tuberculose em 35% e de contágios em 20% até 2020 com relação às estatísticas de 2015. Para 2030, a meta é diminuir o número de mortes em 90% e de infectados em 80%.

Publicidade

No entanto, para que esses objetivos sejam alcançados, a entidade carece de fundos suficientes para realização de pesquisas, com o intuito de encontrar uma vacina eficiente bem como tratamentos mais eficazes.

A luta para alcançar nossos objetivos mundiais no combate à tuberculose é cada vez mais difícil”, disse Margaret Chan, diretora da instituição.

Ainda que, o número de mortes no mundo por tuberculose tenha diminuído 22% nos anos de 2000 a 2015, a doença foi uma das principais causas do número de óbitos ocorridos em 2015, superando o HIV e a Malária.

Teremos que aumentar substancialmente nossos esforços sob o risco de ver países continuamente castigados por esta epidemia mortal e não alcançar nossos objetivos”, afirma Margaret.

Para que o processo de eliminação da tuberculose possa ser agilizado, a OMS prevê que seja necessário um investimento de mais de 1 bilhão de dólares a mais em cada ano para realização de pesquisas, diagnóstico e tratamento da doença.

 De acordo com Ariel Pablos-Mendez, um dos encarregados da Usaid (agência americana para o desenvolvimento internacional), é preciso “incrementar o investimento agora ou simplesmente não conseguiremos erradicar uma das doenças mais antigas e mais mortais do mundo”.