Você prefere receber cuidados de um profissional da saúde que recebeu treinamento em bonecos de silicone, ou acredita que profissionais que estudaram corpos humanos reais estão mais preparados? Se você faz parte do grupo que escolhe a segunda opção, talvez seja hora de começar a pensar no seu pós-morte. Pode parecer macabro, mas para garantir formação de qualidade a médicos, dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros, entre outros profissionais da saúde, precisamos mudar  nossa posição com relação a doação de corpos  voltado ao aprendizado e pesquisa.

No país, o número de cursos da área da saúde vem aumentando, porém, a quantidade de cadáveres disponíveis para estudo ainda é pequena.

Publicidade
Publicidade

Mas você pode ajudar a mudar esta realidade! Basta fazer a doação, ainda em vida, do seu corpo para alguma instituição de ensino. Além disso, também é importante debater este assunto com a família, já que ainda existe muito preconceito e recusa nesse tipo de doação.

Como doar

A primeira coisa a fazer é acessar o site da Sociedade Brasileira de Anatomia e baixar o Termo de Intenção de Doação. Nele, você deve preencher todos os seus dados e também os dados da instituição para a qual pretende doar. No Brasil, todas as universidades estaduais e federais de medicina aceitam a doação de corpos. Preenchido o documento, você precisará de duas testemunhas e também será necessário reconhecer firma em cartório. E então, é só você enviar para a instituição para qual pretende doar seu corpo. 

Como convencer a família

Se o argumento e o seu interesse em ajudar o desenvolvimento e a pesquisa médica não forem suficientes para convencer seus familiares, tente explicar que a doação é um ato altruísta.

Publicidade

Afinal, ao manusearem seu corpo, estudantes e pesquisadores poderão fazer grandes avanços, que beneficiarão centenas de outras vidas no #futuro

Além disso, deixe claro que a doação não impede que o corpo seja velado. Outro detalhe importante é que, diferentemente dos casos de doação de órgãos, o corpo pode estar em qualquer estado. A causa da morte também não interfere na doação.  #Curiosidades #Ciência