Em outubro o governo federal realiza a campanha de prevenção do câncer de mama, intitulada de Outubro Rosa. A campanha visa promover hábitos que contribuam para a #Saúde da #Mulher em relação a esse mal que tanto assola as mulheres deste século. Segundo dados do Ministério da Saúde, há cerca de 52.680 novos casos de câncer de mama por ano. São cerca de 52 casos a cada 100.000 mulheres.

Com dados tão alarmantes, surge a dúvida do que as mulheres podem fazer para se resguardar perante o aumento contínuo de novos casos. Pesquisas indicam uma redução de 28% dos casos de câncer de mama em pessoas que mantêm uma rotina saudável, em comparação às que não praticam.

Publicidade
Publicidade

Veja a seguir práticas que toda mulher deveria adotar para se prevenir contra a doença:

  • Prática de atividade física regularmente: pode ser uma caminhada, por exemplo, 3 vezes por semana durante 30 minutos;
  • Alimentação saudável: consumir frutas, legumes e verduras, água e alimentos ao natural;
  • Manter o peso corporal adequado: o excesso de peso contribui para a formação do câncer, principalmente após a menopausa. Nesta fase o tecido gorduroso passa também a produzir hormônio, estrógeno que “alimenta” o câncer.
  • Não consumir bebidas alcoólicas: estudos comprovam a relação do consumo de bebidas alcoólicas ao aparecimento de casos de câncer de mama.
  • Amamentação: a amamentação estimula as glândulas mamárias e diminui a produção de hormônios, como o estrógeno.
  • Autoexame das mamas: realizar o autoexame das mamas ao menos uma vez por mês possibilita conhecer o próprio corpo e a reconhecer algo diferente que possa surgir. O autoexame não diminui as chances do tumor ocorrer, mas, se detectado no início, as chances de curam aumentam progressivamente.

Além destes hábitos o Ministério da Saúde recomenda a realização da mamografia de rastreamento em todas as mulheres de 50 a 69 anos uma vez a cada dois anos, podendo este período ser diminuído dependendo dos fatores de risco da mulher.

Publicidade

A avaliação é feita pelo profissional da saúde, ginecologista ou mastologista. O médico poderá solicitar a mamografia em outros casos, que será feito gratuitamente pelo SUS.

Com o diagnóstico precoce a chance de cura chega a 90%. Ao detectar algo diferente na mama, procure um profissional, ginecologista ou mastologista, para a avaliação e diagnostico. #setoque