Uma esperança para pessoas com lesão na medula espinhal vem sendo testada por cientistas internacionais. Trata-se de um sistema que, em testes, permitiu a um macaco superar a paralisia de uma perna e caminhar mesmo com lesões no sistema locomotor.

O dispositivo desenvolvido por cientistas liga o cérebro da cobaia aos membros inferiores sem a necessidade de fios. Um computador ligado ao cérebro decodifica os movimentos e envia sinais à medula espinhal.

Ligação cérebro-medula

Uma interface cérebro-medula é composta de uma rede de microeletrodos capaz de detectar a atividade do córtex motor do cérebro do animal.

O fator incomum nesse novo sistema é o de se concentrar na parte inferior do corpo e permitir a um macaco se locomover sem estar ligado a um computador externo e por meio de fios.

Publicidade
Publicidade

Para o cientista Grégoire Courtine, especialista em Reparação da Medula Espinhal do Instituto Federal de Tecnologia da Suíça, Lausanne, o sistema poderá ser implantado em seres humanos dentro de dez anos.

A ideia foi inicialmente testada em ratos, com sucesso. Depois, cientistas chineses desenvolveram pesquisas em torno do tema. Courtine diz que agora, depois da China, a Suíça permitirá as pesquisas com animais, o que não havia sido feito no país devido a proibições legais locais. A Suíça restringe a pesquisa científica com animais.

Nos humanos

A notícia repercute no meio científico. Andrew Jackson, da Universidade de New Castle, classifica a pesquisa como “um marco importante”. Ele já realizou trabalhos sobre a paralisia da parte superior do corpo. Uma equipe internacional desenvolve a pesquisa.

Publicidade

Dr. Courtine explica ainda que este trabalho tem que ser testado por muitos anos antes de ser adotado em humanos. Questões éticas estão envolvidas.

Um dos autores do estudo, David Burton, da Universidade Brown desenvolveu o sensor sem fio que, combinado com micro-elétrodos grava e transmite os impulsos da base do cérebro onde se origina o impulso para mover a perna. Segundo ele, o sistema fortalece as ligações entre partes da medula e o membro ferido.

É a #Ciência em benefício do ser humano.

Veja a explicação dos cientistas:

#Medicina