Choro, birras e caras feias na mesa. Quais pais nunca passaram por essa fase com seus filhos? Quando chega a época em que as #crianças insistem comer um tipo específico de #Comida ou rejeitam quase tudo, a preocupação dos adultos aumenta. Mas nem tudo está perdido. A partir dos seis meses de idade, as crianças estão em fase de experimentação, por tanto, o ideal é apresentá-las a diversos alimentos saudáveis, sem forçar, chantagear ou fazer com trocas. O certo é oferecer várias vezes estes alimentos.

Para a nutróloga da HCor (Hospital do Coração), Daniela Gomes, os pais precisam ser pacientes nessa fase de transição dos filhos.

Publicidade
Publicidade

“Como estão em fase de experimentação, as crianças não têm nenhum preconceito com os alimentos. Basta oferecer várias vezes as comidas”. Quando terminam a amamentação, a seletividade de degustação dos pequenos fica mais aguçada, pois passam a comer pratos pastosos. Nessa fase, a melhor dica é fazer com que eles se acostumem com o azedo, doce, salgado, diferentes consistências e comidas quentes e frias. Isso ajuda na sensibilidade e aumenta o conhecimento do paladar infantil.

Recorrer a produtos industrializados está fora de cogitação. Gorduras, sódios, corantes e açúcares são os piores inimigos para aqueles que estão em fase de desenvolvimento. Segundo Daniela, os pais preferem oferecer lanches prontos para os pequenos, a fim de não deixa-los com fome, caso não tenham feito uma refeição.

Publicidade

“É um equívoco comum, pois trata-se de uma atividade do dia-a-dia, o que complica mais a situação. ”

A inovação na hora das refeições ajuda bastante no interesse das crianças nas variedades de alimentos. A maior rejeição ocorre com as verduras, frutas, legumes e as carnes. A criatividade no modo de preparo e a participação dos filhos como ajudantes na cozinha é uma das melhores formas de interação entre eles e as comidas. “Se a criança não gostar de carnes em cubos, fazer hambúrgueres com carne moída é uma boa ideia. Beterraba e cenoura podem dar mais cor aos pratos e sucos “, afirma a nutróloga. Em sopas com legumes, o melhor é amassar os legumes com o garfo, sem batê-los no liquidificador ou pela peneira. Assim, as fibras e os nutrientes estarão intactos.

Fazer com que os pequenos não sejam tão seletivos pode ajudar a eles serem adultos mais predispostos a comer todo tipo de alimento, pois, adultos seletivos, podem correr o risco de contrair obesidade ou outras doenças. #Alimentação Saudável