Uma em cada 11 pessoas no mundo tem diabetes. A informação é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que teme uma epidemia da doença nos próximos anos. Afinal, já são mais de 422 milhões de diabéticos no planeta.

A doença é uma das principais causadoras de problemas cardíacos, conforme explica a médica endocrinologista Keyla Facchin Guedes, do Hospital Sepaco, em São Paulo (SP).

“O #Diabetes descontrolado é um dos principais fatores causais de lesões do endotélio das coronárias, o que leva à formação das placas de ateromatose que, por sua vez, levam ao infarto, muitas vezes fatal”, diz.

O mês de novembro é dedicado ao diabetes e várias ações de orientação e #prevenção acontecem nas grandes e pequenas cidades com a intenção de orientar a população.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a especialista, algumas atitudes podem ajudar o paciente diabético a ter mais qualidade de vida. A principal delas é cultivar hábitos saudáveis e sempre buscar informações sobre os alimentos que vai ingerir.

A médica orienta os pacientes a se atentarem aos rótulos dos produtos nos supermercados e sempre priorizar alimentos ricos em fibras. “Devem ser consumidas diariamente. De acordo com a Associação Dietética Americana e Organização Mundial da Saúde, a ingestão de fibras para adultos deve ser de 20 a 35 gramas ao dia”, recomenda.

Ainda em relação aos rótulos, o diabético deve estar atento aos níveis de carboidratos, proteínas, lipídeos, sódio, potássio, colesterol, conservantes, entre outros que estiverem no rótulo.

Outra dica importante é prestar atenção à composição dos produtos, quantidade dos itens da composição e fracionamento das refeições.

Publicidade

“Assim, conseguimos controlar também o valor energético do produto”, orienta.

De acordo com a especialista, o diabetes tipo 2 – aquele que é adquirido ao longo da vida – pode ser controlado com hábitos saudáveis. “A dieta é imprescindível para o tratamento”, explica.

No entanto, uma medicação denominada metformina deve ser acrescentada sempre que possível, segundo a médica. O remédio deve ser usado sob orientação médica. Há estudos que indicam a redução de riscos de problemas cardiovasculares em até 35%, por causa do medicamento.

Sobrepeso e diabetes

O risco de adquirir o diabetes tipo 2 é menor nas pessoas que têm hábitos saudáveis e fazem controle de peso.

Porém, a médica alerta que existe um fator genético predisponente, que pode causar a doença em qualquer pessoa. “Mas, com certeza o aumento de peso é o fator predisponente mais importante, muito mais que a genética”, orienta.

As crianças também estão propensas a desenvolver a doença, principalmente devido aos vícios alimentares. “Crianças podem desenvolver o diabetes tipo 2, geralmente quando estão muito acima do peso. A obesidade gera o que chamamos de resistência à insulina, e isso desenvolve o diabetes mesmo em indivíduos jovens”.