Um estudo publicado na revista "International Journal of Epidemiology" revelou que o consumo de #paracetamol durante a gestação pode levar ao aumento das chances dos sintomas do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e da hiperatividade nos filhos.

O estudo

O Instituto Salud Global (ISGlobal), em Barcelona, foi o responsável por liderar o estudo, descobrindo que acetaminofeno tem alta associação com sintomas do #Autismo em garotos e alta associação com sintomas do déficit de atenção e hiperatividade em ambos os sexos. O medicamento é muito usado durante a gravidez, mas tem causado efeitos maléficos.

Jordi Júlvez, pesquisador do ISGlobal e coautor do estudo, explicou que esta é uma pesquisa pioneira no que diz respeito à associação independente entre o consumo do paracetamol durante a gestação e os sintomas do TEA.

Publicidade
Publicidade

O pesquisador ainda apontou que este é o primeiro estudo que mostra os diferentes efeitos do remédio no desenvolvimento neurológico de acordo com o sexo.

Meninos e meninas expostas ao fármaco foram comparados aos que não foram expostos, resultando no aumento de 30% do risco de distúrbios de atenção e dos sintomas do autismo em meninos.

Para os estudos, 2.644 duplas de mães e filhos foram recrutados. Algumas crianças foram avaliadas quando tinham apenas um ano, enquanto outras foram analisadas aos cinco anos. Durante o processo, as mães precisavam classificar a frequência do uso de paracetamol durante o pré-natal, sendo que as classificações variavam entre frequentemente, esporadicamente e nunca.

A exposição ao medicamento durante as 32 primeiras semanas de gestação aconteceu em 43% dos casos das crianças estudadas durante um ano e em 41% dos casos das crianças aos cinco.

Publicidade

As crianças de cinco anos tinham 40% mais chances de desenvolver sintomas relacionados à impulsividade ou à hiperatividade.

As crianças analisadas passaram pelo K-CPT, exame que mede a impulsividade, a velocidade do processamento visual e a capacidade de atenção. Aqueles que foram expostos ao medicamento durante um longo período apresentaram pior rendimento, além de um aumento de dois sintomas do distúrbio do autismo.

Então, os pesquisadores buscaram entender o motivo pelo qual apenas os meninos apresentaram os sintomas relacionados ao autismo e chegaram à conclusão que o cérebro masculino apresenta maior vulnerabilidade aos danos nos momentos após o nascimento. #Maternidade