Primeiro os brasileiros tiveram que enfrentar a dengue, depois foi a vez da zika e em seguida chegou o chikungunya. Agora um novo vírus está ameaçando o Brasil e os cientistas estão muito preocupados, é o vírus "Mayaro", que foi identificado pela primeira vez na década de 50, sendo mais comum principalmente na região da Amazônia.

Agora o vírus vem sendo localizado em várias regiões do país e até fora do Brasil, como o caso recente onde pesquisadores identificaram o "Mayaro" também no Haiti. Um garotinho de 8 anos apresentou forte febre e muitas dores no abdômen. Após alguns exames, descobriu-se que ele estava com o "Mayaro" e a suspeita agora é que o vírus já se espalhou por todo continente.

Publicidade
Publicidade

E tem um problema ainda maior, que é o fato desse vírus ter se adaptado, ou seja, antes ele era transmitido apenas por mosquitos silvestres, mas agora já consegue "viajar" nos mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti.

O motivo dos brasileiros entrarem em pânico é que o Aedes aegypti está presente em todo território nacional e assim ficaria fácil para o vírus "Mayaro" contaminar o país inteiro.

Um leigo geralmente encontra grande dificuldade para identificar se a febre é resultante do vírus "Mayaro" ou chikungunya. Para ter um diagnóstico preciso é necessário realizar exames laboratoriais específicos. O garoto no Haiti, citado acima, tinha suspeita de estar com dengue, só que os testes deram negativo. Foi então que novos exames mostraram que era o "Mayaro".

O processo de transmissão é o mesmo, o mosquito Aedes precisa picar uma pessoa que esteja contaminada com o "Mayaro" e assim, a próxima vítima estará recebendo o vírus.

Publicidade

Para se prevenir é importante combater a proliferação do mosquito e também prevenir-se das picadas, usando telas nas janelas e repelentes específicos. Ao primeiro sinal de febre ou algum outro sintoma, ninguém deverá se medicar, devendo ir imediatamente a um médico ou posto de #Saúde.

Com a chegada do verão, o Aedes encontra o clima propício para se procriar, então continue fazendo sua parte e não deixe água parada, pois será preciso a união de todos para enfrentar o vírus "Mayaro". #Medicina #Doença