O Instituto Nacional de Câncer (INCA) alerta que no Brasil, o #Câncer de próstata possui a segunda maior incidência entre homens. São cerca de 61 mil diagnósticos anuais e, por tamanha relevância e gravidade da questão, é que é preciso dar atenção sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce. Começa hoje, 1º de novembro, a campanha Novembro Azul, que conta com ações nacionais de disseminação de informações que salvam vidas.

“A campanha do #Novembro Azul tem o papel crucial de informar a população sobre o que é o câncer de próstata e incentivar os homens a ir ao urologista para prevenir esta doença”, enfatiza o urologista Rafael Buta, do Instituto Aliança Oncologia.

Publicidade
Publicidade

O que é a doença e como acontece

A próstata é uma glândula exócrina (produz secreção) que faz parte do sistema genital masculino. É responsável pela produção e armazenamento do fluido seminal, parte do sêmen, que em integralidade também se constitui por espermatozoides. Possui musculatura capaz de expelir, por contração, o sêmen durante a ejaculação. Fica localizada próxima à bexiga.

O funcionamento pleno da próstata acontece por meio de hormônios produzidos pelos testículos, como a testosterona. Em estado saudável e natural, possui o tamanho de uma noz. Em seu interior também está a uretra, vinda da bexiga, que se une aos ductos ejaculatórios com a função de encaminhar a urina da bexiga durante a ação urinária, assim como a passagem do sêmen durante a ejaculação.

Quando as células da próstata se reproduzem desordenadamente formam o tumor, que caracteriza o câncer gerando alterações em sua forma e tamanho.

Publicidade

“Infelizmente, hoje em dia, dois em cada dez pacientes com câncer de próstata são diagnosticados em fases mais avançadas da doença, em que as chances de tratamento curativo são menores”, ressalta Rafael.

Prevenção e diagnóstico

Como os sintomas são muito discretos ou inexistentes, a consulta com o urologista torna-se imprescindível. Sintomas são perceptíveis em casos avançados da doença: dor óssea, geralmente na região da coluna, vértebras, pelve e costelas - e o tratamento é mais severo.

Por indicação médica, a partir dos 50 anos, os homens devem ir ao urologista com mais frequência, já que a única forma de prevenção é a avaliação periódica e o diagnóstico precoce. "É por meio da avaliação inicial que definimos a periodicidade de realização dos exames", explica o urologista.

Os exames

  •  Dosagem do PSA

PSA (Antígeno Prostático Específico) é a proteína que a próstata produz naturalmente e que é detectável em doses baixas na corrente sanguínea quando o indivíduo apresenta-se saudável. Ao sofrer alguma alteração, seja inflamação, infecção, crescimento benigno ou o tumor cancerígeno, a taxa de PSA presente no sangue mostra-se em alta quantidade.

Publicidade

O exame é realizado para medir essa taxa.

  •  Exame de toque da próstata

Por meio do exame físico de toque na próstata, o médico verifica como está o formato, tamanho e textura, identificando se existe algum ponto em que possa haver a suspeita de prejuízos ao estado natural ou que possa ser ou tornar-se um tumor maligno.

  •  Biopsia

Após o resultado dos dois exames citados, o urologista solicita a biópsia da próstata. No procedimento, são retirados pequenos fragmentos da glândula para análise laboratorial, que elucidará um resultado confiável sobre a real situação do órgão. É um exame assertivo e que direciona o paciente para o tratamento, caso seja necessário.

Tratamento

De acordo com os resultados de cada paciente, determina-se o tipo e intensidade do tratamento a ser realizado. O estágio é o fator determinante.

Em casos de doença ainda em estágio inicial, em que o crescimento da malignidade é lento, acontece então um acompanhamento clínico e o tratamento é mais leve. Para estágios avançados, além do acompanhamento clínico, é indicado cirurgia para a retirada total da próstata, tratamento com hormônios e quimioterapia. A radioterapia também pode ser utilizada como alternativa à operação, dependendo do caso. #Saúde