A eliminação de flatos, popularmente conhecidos por "peido" ou "pum", é uma atividade normal na vida de qualquer ser humano, porém, o excesso deles pode ser bastante incômodo e constrangedor. Na maioria das vezes, o excesso de gases intestinais está ligada à alimentação, mas também pode ser um sinal de alguma irregularidade ou doença gastrointestinal. Os gases são produzidos pelas milhões de bactérias presentes em nosso trato digestivo. Os gases intestinais são produzidos devido às proteínas, carboidratos e gorduras que ingerimos nos alimentos. Os gases são inodoros, o que causa o mau cheiro é a porcentagem de gases compostos por enxofre, o principal é o sulfeto de hidrogênio.

Publicidade
Publicidade

Isso explica o motivo de alguns não terem cheiro quando eliminados.

Fogo durante cirurgia

Seria cômico se não fosse trágico! O episódio aconteceu em um hospital no Japão, em abril desse ano, porém, só foi divulgado agora devido ao processo de investigação que estava ocorrendo em sigilo. Trata-se de uma mulher de 30 anos que estava passando por uma cirurgia no colo do útero, quando eliminou gases perto de um aparelho que emite raio laser e estava sendo manuseado por um dos médicos no procedimento cirúrgico. O pânico foi geral entre a equipe presente, após perceberem que o encontro dos gases liberados pela paciente com a irradiação do laser causou uma espécie de incêndio que resultou em um acidente com graves queimaduras nas região das pernas e na cintura na paciente, deixando um dos médicos levemente ferido.

Publicidade

Tudo ocorreu enquanto a moça estava dormindo, sedada, após ser anestesiada.

O laudo do ocorrido foi liberado e divulgado pelo Hospital Universitário de Tóquio, nesta sexta-feira (28), e, após ser investigado por um comitê de especialistas externos e concluir que não havia exposição de nenhum material inflamável na sala durante a cirurgia, e que todo o equipamento utilizado pela equipe médica durante o procedimento estava funcionando normalmente, chegou à conclusão de que: "materiais inflamáveis liberados pela paciente foram responsáveis pelo incêndio". O documento com o laudo termina por afirmar que: "Quando o gás intestinal da paciente vazou no ambiente da operação, houve contato com a irradiação do laser, o que provocou as chamas. As chamas atingiram as cortinas e levaram ao incêndio" #Peido causa explosão e incêndio #Mulher peida durante a cirurgia #Mulher sofre queimaduras após peidar em cirurgia