Para as mulheres que querem ter #Filhos, para que estão grávidas, para as que já têm e até mesmo para os papais, temos uma ótima notícia: ter filhos aumenta a #Felicidade. Este é o apontamento feito após uma #pesquisa realizada pela Population Association of America. Para o estudo, mais de 3 mil adultos de todo o mundo foram entrevistados, questionando-os e analisando-os para descobrir se eles eram felizes ou não.

Os resultados? Os adultos com filhos são mais felizes que aqueles sem filhos. E tem mais: mesmo quando os níveis de felicidade baixam, a média de "felicidade" das mães e dos pais ainda é maior do que a média daqueles adultos que não são têm filhos.

Publicidade
Publicidade

A felicidade "aumenta" ainda mais entre aqueles que planejam ter filhos e aqueles que estão no primeiro ano de vida do bebê.

Pamela Magalhães, psicóloga clínica de São Paulo, explica que tal felicidade é realmente maior entre aquelas pessoas que têm filhos e que estão preparadas tanto financeira, quanto emocionalmente para criar uma criança.

De acordo com a especialista, os casais tendem a sentir mais felicidade com a chegada de um filho. Os pais aprendem a se doar por inteiro e aprendem o significado do amor incondicional, eles conseguem ver um pouco deles nos filhos e sentem que aquela criança é continuação da vida deles mesmos.

Outra pesquisa

Uma outra pesquisa da Population Association of America aponta que os pais atuais sentem-se mais felizes do que os adultos que tornaram-se pais em 1980 e em 1990.

Publicidade

Isto porque hoje em dia a qualidade de vida é melhor se comparada àquela época.

Tal aumento na qualidade de vida é ainda maior no caso do sexo feminino: As mulheres antes não tinham muitas opções e sofriam muito mais pressão social para terem filhos. Além do mais, elas tinham que cuidar da casa e ainda criar os filhos praticamente sozinhas, sem a ajuda dos companheiros que apenas precisavam trabalhar.

Hoje, a divisão de tarefas é uma realidade e as mulheres podem escolher entre ter ou não ter filhos, tornando a vinda da criança algo desejado e, portanto, feliz.