Uma equipe de pesquisadores norte americanos conseguiu produzir um anticorpo muito eficaz contra o vírus da AIDS. De acordo com pesquisadores, o anticorpo denominado de N6 foi capaz de combater em torno de 16 das 20 mutações do vírus. Outro anticorpo considerado eficiente no combate ao vírus da AIDS, destaca-se o VRC01, com 90% de eficácia em relação às cepas do HIV. A pesquisa foi publicada pela revista Immunity, e tende a revolucionar o tratamento contra AIDS. Além disso, pode proporcionar o desenvolvimento de uma vacina para a doença.

De acordo com uma publicação da revista IFL Science, a revista explica que em doses maiores, o anticorpo poderia ser usado como um antirretroviral contra o HIV.

Publicidade
Publicidade

Uma vez que os antirretrovirais são bastante eficientes no tratamento contra a AIDS, mas costumam apresentar efeitos colaterais em alguns pacientes. Além do mais, estes medicamentos precisam ser ingeridos todos os dias, enquanto no tratamento com anticorpos isso ocorre uma vez ao ano.

Levando-se em consideração que até os primeiros seis meses de vida a doença não se manifesta, na qual na maioria dos casos, os pacientes infectados demonstram estarem sadios durante a realização dos exames. Por causa disso, alguns testes podem dar negativos para o HIV. A partir deste período, ocorre o processo denominado de incubação do vírus. Por isso, é fundamental tanto homens, quanto mulheres procurarem por um especialista. Algumas pessoas podem apresentar aparência saudável após cinco anos convivendo com a doença e sem apresentarem sintomas físicos.

Publicidade

Segundo especialistas, o vírus não possui um tempo determinado para se manifestar, sua manifestação pode ocorrer dentro de semanas ou em anos após ser adquirido. Vale ressaltar que os principais sintomas do vírus da AIDS podem se manifestar através de outras enfermidades, que são adquiridas devido à baixa imunidade do paciente. Entre os principais sintomas da AIDS destacam-se o emagrecimento sem motivo aparente, febre contínua, sapinho na língua, além de ínguas com duração de mais três meses.

Embora a notícia com a descoberta do anticorpo N6 seja animadora, até o momento não há informações de que o anticorpo esteja sendo testado em cobaias humanas. uma vez que o N6 foi testado apenas em amostras de HIV. Portanto, os cientistas não sabem explicar se os resultados poderão ser eficazes nos organismos dos pacientes. Entretanto, existe uma grande possibilidade para que a partir dos testes em cobaias, o N6 possa ser transformado em uma vacina eficaz no combate ao HIV. Até lá, será necessário muito empenho nas pesquisas. #entreternimento #cura para aids #Curiosidades