Sintomas como dor, sangramentos, coceiras e outros podem surgir durante a relação íntima e interferir no prazer dos participantes. Eles acontecem mais frequentemente às mulheres, manifestar-se em diferentes intensidades e surgir durante a relação ou depois. Em alguns casos, são indícios de problemas de saúde.

Patrick Bellelis, ginecologista do Hospital Sírio-Libanês em São Paulo, diz que fatores psicológicos podem ser uma das causas dos problemas ocorridos durante ou após o #sexo, como não se sentir à vontade para transar ou ir para a relação já achando que terá dor. Essas duas possibilidades, por exemplo, podem afetar a lubrificação vaginal da mulher, provocando uma contração involuntária do introito vaginal (a abertura do canal vaginal) e causando dor durante o ato.

Publicidade
Publicidade

Ainda assim, sintomas como dor, sangramento, alterações do odor, secreções esverdeadas ou amareladas, coceiras, feridas, fissuras ou verrugas podem ser indícios de alteração de saúde, até mesmo de doenças sérias como endometriose (doença que se caracteriza pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.), doença inflamatória pélvica (uma síndrome clínica, que ocorre quando a gonorreia e a infecção por clamídia não são tratadas, atingindo os órgãos sexuais internos da mulher, como útero, trompas e ovários, e causando inflamações) e doenças sexualmente transmissíveis como infecção pelo vírus HPV (que pode causar câncer genital), por exemplo. Por isso, sintomas estranhos devem ser comunicados sem perda de tempo a um ginecologista, profissional, aliás, que as mulheres devem visitar regularmente para consultas e exames preventivos.

Publicidade

Outra medida importante de caráter preventivo, lembra ele, é a vacinação de homens e mulheres de até 45 anos contra o vírus HPV.

Em caso de dor durante a relação, é melhor não tentar continuar mantendo relações antes de obter um diagnóstico médico quanto à natureza do problema porque, além de ariscar agravar o problema de saúde causador da dor, poderá criar na mulher aversão ao sexo, prejudicando sua vida sexual e sua relação com seu companheiro. #Relacionamento #dor no sexo