Não é de hoje que os astrônomos e outros cientistas conseguiram comprovar que a atmosfera que envolve os planetas é composta por uma camada de gases específicos na qual circulam um corpo celeste qualquer desde que tenha massa física suficiente para conseguir atrair os gases com a gravidade.

Os antigos gregos identificaram que o mesmo processo acontece em relação à Terra, onde a atmosfera funciona como um escudo vital ao próprio planeta e às diversas espécies de vida que nele existem. Tanto é assim que a palavra atmosfera é formada de dois radicais gregos: "atmós", que significa vapor, e "sfera", que é algo esférico, podendo ser entendido como vapor ou gases circulares nos corpos espaciais. 

Diante desse cenário calcado na #Ciência em que os humanos estão inseridos, no dia 25 de outubro, terça-feira, cientistas da Rússia se debruçaram sobre um vídeo um tanto curioso que traz o voo de um objeto celeste sobre a região remota do misterioso lago Baikal.

Publicidade
Publicidade

Os pesquisadores afirmaram depois de muitas análises que o corpo espacial não passava de um meteorito, o qual detinha massa física de aproximadamente 50 a 80 kg e que, ao entrar no campo de domínio da atmosfera terrestre, acabou por se desintegrar totalmente, conforme falou Sergei Yazev para a RIA Novosti (agência especializada em notícias da Rússia). Vale frisar que Yazev é o renomado diretor do Observatório Astronômico da Universidade de Irkutsk.

Viktor Grokhovsky, estudioso de meteoritos, e Maria Gritsevich, que é cientista, se uniram a Sergei na análise do vídeo que foi cedido pela Empresa Petrolífera da localidade de Irkutsk. 

O corpo técnico de profissionais conseguiu constatar que o meteorito possuía cerca de 50-80 kg, antes de entrar na atmosfera da Terra e que viajava a uma velocidade de 20 km por segundo decorrido com uma inclinação de 20 graus em relação à superfície do planeta Terra, ou seja, esses fatores somados favoreceram com que o objeto se incinerasse na atmosfera da região da reserva natural do lindo lago Baikal, produzindo toda a luz esverdeada gravada no vídeo, onde o meteorito não conseguiu atingir o solo. 

Notícias sobre o objeto celeste com luz própria foram disseminadas nos últimos dias nas redes sociais, sendo que os internautas fizeram diferentes especulações acerca do acontecimento, com hipóteses que vão desde o retorno de lixo espacial à Terra ou ainda que poderia tratar-se de peças que compunham um míssil balístico.

Publicidade

Fato é que a frase dita pelo escritor da Inglaterra, William Shakespeare, que "há mais mistérios entre o céu e a terra do que a vã filosofia dos homens possa imaginar", poderia se aplicar em cheio ao meteorito de luz verde que voou sobre os céus da Rússia. #Russia #Curiosidades