#Libby Huffer de Fort Wayne mora em Indiana, nos EUA, e ela sempre foi uma menina feliz... até os cinco anos. Foi nesta idade que Libby foi diagnosticada com uma enfermidade rara, chamada neurofibromatose tipo 1.

Durante a infância, a doença causou algumas verrugas. Mas na puberdade começaram a parecer caroços no corpo e no rosto de Libby e todos os dias a quantidade aumentava. Ela sofria ao se olhar no espelho e sofria com os insultos dos colegas de escola.

Ao chegar na fase adulta, Libby engravidou e foi aí que tudo piorou: Ela tinha quase 6 mil tumores em seu corpo. Tais tumores não são cancerígenos, mas prejudicam o dia a dia dessa mulher.

Publicidade
Publicidade

Agora, Libby não tinha auto estima e isto prejudicou toda a sua vida, até mesmo para conseguir trabalhar.

Ela lembra que a última vez que sentiu-se bem com seu corpo foi quando ela tinha 16 anos e usou biquíni. Mas essa coragem foi embora quando os caroços passaram a se multiplicar.

Até hoje ela tem vergonha de sua condição e tem medo de sair de casa. Porém, mesmo com tanto receio, ela ainda quer ajudar outras pessoas que encaram situações parecidas.

Agora, ela sai na rua com folhetos informativos para distribuir para aquelas pessoas que não conhecem a doença, já que algumas têm até medo de chegar perto de Libby.

Mesmo com todas essas dificuldades, ela tenta se manter feliz. Porém, nada em sua vida é fácil. Além da aparência, ela precisa consumir 13 medicamentos por dia, viver com as dores causadas pela doença e com a depressão causada por todos os episódios de sua vida.

Publicidade

Libby lamenta que seu futuro seja algo muito incerto, porque a cada dia surgem mais caroços.

Mas ela faz o melhor que pode para ser otimista.

Libby já extraiu tumores usando as cirurgias tradicionais. Porém, um novo método surgiu: A eletrodissecação é uma técnica que remove os tumores, puxando-os abaixo da raiz dos nervos e, consequentemente, evitando que eles nasçam outra vez. O tratamento é caro, mas Libby já arrecadou fundos por meio de uma campanha em sua página no Facebook GoFundMe e também o auxílio do programa de TV "The Doctors.

Quem sabe agora ela consiga levar uma vida melhor?

Confira o vídeo e entenda mais sobre a doença de Libby:

#Tumor #caroço