O combate ao Aedes Aegypti, mosquito que transmite doenças como #Dengue, Zika e Chikungunya, é importante durante todo o ano. Apesar de a ameaça existir o ano inteiro, ela fica mais intensa durante o verão.

No início de dezembro, foi divulgado pelo Ministério da Saúde que o Nordeste é a região com maior número de mortes por microcefalia no Brasil. O estado com maior número de mortes é o Ceará; foram 25 mortes entre 8 de novembro de 2015 e 3 de dezembro de 2016. O segundo estado com maior número de óbitos é o Rio Grande do Norte; com 22 mortes. Em seguida vem a Bahia, com 22, Paraíba, com 18, e Rio de Janeiro e Goiás, com 11 cada um.

Publicidade
Publicidade

Foram 121 mortes no Nordeste, 25 mortes no Sudeste, 23 no Centro-Oeste, 17 no Norte e uma no Sul.

Crise hídrica x Dengue

A #Crise das chuvas vem desde 2011 no Rio Grande do Norte. Ao todo, 68% ─ mais de dois terços ─ dos principais reservatórios do estado estão secos ou já em volume morto, de acordo com o Instituto de Gestão de Águas do RN (Igarn).

Vinte reservatórios do RN que têm capacidade acima de 5 milhões de m³ estão secos e doze estão em volume morto, sem capacidade de uso. Há ainda dois que devem entrar em volume morto até o fim de 2016.

O problema da Dengue deve ser evitado na base, ou seja, na prevenção ao mosquito Aedes aegypti, antes de sua proliferação. Uma das maneiras para contribuir na prevenção é chamando atenção aos reservatórios de água, pois esses também podem virar foco da Dengue.

Publicidade

Mas não só isso: piscinas, baldes, bacias e tudo que couber água pode virar foco. E a reserva de água fica ainda mais comum em épocas de crise hídrica.

De acordo com o Portal da Saúde, 76% dos depósitos predominantes de Aedes aegypti no Nordeste foram por armazenamento de água. Outros 19,1% foram por depósito domiciliar e 4,9% por lixo.

Medidas para evitar reprodução e proliferação da dengue em reservatórios de água

As caixas de água devem ser higienizadas constantemente. Mais importante, elas devem sempre ficar fechadas e bem vedadas. Poços artesianos e qualquer outro reservatório de água devem passar pelo mesmo tipo de cuidado.

É importante notar que qualquer recipiente que acumule água por mais de dez dias pode virar foco. A temperatura acima de 25 o C, em média, também é ideal para a proliferação do mosquito. Vale lembrar que as altas temperaturas são comuns no Rio Grande do Norte no verão, mas também em outras estações do ano. Por isso, é necessário cuidado redobrado. #Doença