Imagine viver em um mundo onde não precisaremos mais ter medo do câncer? Isso, infelizmente, ainda parece ser um sonho muito distante de se tornar real, porém, estudiosos afirmam que isso pode se tornar realidade daqui aproximadamente 34 anos.

E para que esse sonho se torne presente em nossas vidas, os estudiosos da University College de Londres e do Kings College London estão se dedicando diariamente a pesquisas que garantem essa importante evolução na #Ciência. Conforme relatos dos envolvidos no estudo, os avanços nos tratamentos radiológicos, medicamentosos e cirúrgicos, combinados com a diminuição do tabagismo e aperfeiçoes nas taxas de exame de #Saúde precoce, têm desafiado uma “batalha constante contra o câncer” que poderia ser finalizada até o ano de 2050.

Pesquisas realizadas no ano de 2015 revelaram que, todo ano aproximadamente 14 milhões de pacientes são diagnosticados com a enfermidade, sendo que cerca de 8 milhões deles vieram a óbito devido a doença.

Publicidade
Publicidade

Até o ano de 2030, o número poderá crescer de forma absurda e assustadora. O dígito passará a ser de 26 milhões de pessoas diagnosticadas e 17 milhões de mortes devido ao câncer.

Porém, para que isso realmente se torne real, os pesquisadores dizem que os investimentos em cuidados e prevenções precisam ganhar mais atenção, assim como um maior acesso aos medicamentos necessários para a prevenção se torne mais fácil. As instituições e governos devem passar a incentivar a população, alertando sobre a consciência e informação sobre os primeiros sintomas apresentados pela doença, tornando possível o diagnóstico precoce e rápido.

Essa descoberta realmente vai se tornar um passo importante para a história da medicina, principalmente porque os cânceres estão a caminho para se tornarem ainda mais preventivos ou efetivamente curáveis.

Publicidade

Os especialistas contam que é realista aguardar que em 2050 os altos números de mortes diagnosticadas pelo câncer em adultos e crianças se tornem completamente evitáveis, e isso acontecerá graças às disponibilidades de tecnologias assistenciais e também de melhores terapias farmacêuticas.

Até lá, é necessário deixar de lado alguns hábitos prejudiciais e receios em discutir com os profissionais de saúde sobre os primeiros sinais ou pequenas alterações em seu corpo que podem parecer banais, porém, indicam os principais referentes ao estágio inicial da doença. Mesmo que isso pareça distante, é importante sabermos que esse dia vai chegar e o câncer vai deixar de matar centenas de pessoas que são diariamente diagnosticadas e lutam diariamente contra a doença avassaladora.