A depressão é uma das doenças mais temidas da atualidade. Estima-se, segundo a OMS, que a mesma acomete mais de 350 milhões de pessoas em todo mundo, e as mulheres são as mais atingidas por esse mal, cerca de 50% a mais do que nos homens. Esse índice vem crescendo demasiadamente, muitas vezes o paciente nem sabe que sofre desse mal, e a falta de #diagnóstico e medicação adequada piora o quadro depressivo.

Mas o diagnóstico, por vezes, não é demorado, devido à intensidade dos sintomas, na maioria dos casos. Mas há pessoas que não procuram ajuda de um especialista, e, por vezes, a família não toma as medidas cabíveis para o tratamento de seus entes queridos, o que pode ter consequências danosas.

Publicidade
Publicidade

Por isso, é importante a observação dos sintomas, mudanças de humor, comportamento e outros sintomas, tanto por parte da família, quanto por parte do paciente, isso irá contribuir para o descobrimento precoce da #Doença, o que é muito benéfico, pois a chances de cura por consequência são maiores.

Essa doença é causada por uma série de fatores, e alterações químicas no cérebro principalmente em relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina, entre outros). O estresse também é um grande vilão, ele pode precipitar a #depressão em pessoas que já tem uma predisposição a ter a doença, que normalmente está ligada a questões genéticas.

A seguir, designamos uma lista de sintomas que estão ligados a um estado depressivo da pessoa, a observação desses sintomas é de suma importância para o diagnóstico e tratamento de pacientes:

- Ansiedade;

- Irritação por coisas banais;

- Vontade de se isolar;

- Medo sem justificativa;

- Vontade de morrer;

- Perda de peso;

- Aumento de peso;

- Pessimismo;

- Constantes alteração de humor;

- Perda da libido;

- Choro sem justificativa.

Publicidade

Esses são alguns dos principais sintomas, mas dependendo do grau os sintomas podem ser mais graves, e em alguns casos a pessoa pode tentar tirar a própria vida. Para evitar esse tipo de transtorno ao paciente e à família, é necessário que o tratamento comece o mais cedo possível.